31 de dezembro de 2014

NOSSO BRINDE


 
 
"UM BRINDE AO QUE DEU CERTO,
AO QUE NÃO DEU EM NADA,
A TUDO QUE ACONTECE, AO QUE NUNCA VAI ACONTECER
A TUDO QUE MUDOU
E A TUDO AQUILO QUE NUNCA IRÁ MUDAR"
Agradecendo o Ano que se vai e desejando aos amigos e familiares um Novo Ano de paz, saúde e realizações!
 
 
 

29 de dezembro de 2014

FELIZ LIVRO NOVO (PARA REFLEXÃO)


Quando 2014  começou, ele era todo seu!

Foi colocado em suas mãos ...
Você podia fazer dele o que quisesse ...
Era como um Livro em branco, e nele você podia colocar: 


Um poema, um pesadelo, uma blasfêmia, uma alegria, um desejo, uma oração ... Podia ...

Hoje não pode mais; já não é mais seu.
É um livro já escrito ... Concluído.
Como um livro que tivesse sido escrito por você,


ele um dia lhe será lido, com todos os detalhes,

e você não poderá corrigí-lo.

Estará fora de seu alcance.

Portanto, antes que 2014 termine, reflita,

tome seu velho livro e o folheie com cuidado.

Deixe passar cada uma das páginas pelas mãos

e pela consciência; faça o exercício de ler a você mesmo.
LEIA TUDO ...


Aprecie aquelas páginas  de sua vida em que você usou e deu o  seu melhor.
Leia também as páginas que gostaria de nunca ter escrito.


Não, não tente arrancá-las. Seria inútil! Já estão escritas!
Mas você pode lê-las enquanto escreve o novo livro
que lhe será entregue.


Assim, poderá repetir as boas coisas que escreveu,
e evitar repetir as ruins.


Para escrever o seu novo livro, você contará novamente

com o instrumento do livre arbítrio, e terá, para preencher,
toda a imensa superfície do seu mundo.


Se tiver vontade de beijar seu velho livro, beije-o.
Se tiver vontade de chorar, chore sobre ele e, a seguir,


coloque-o nas mãos do Criador.

Não importa como esteja...
Ainda que tenha páginas negras, entregue


e diga apenas duas palavras:

- Obrigado e perdoe-me !!!

E, quando 2015 chegar, lhe será entregue outro livro, 
novo, limpo, branco todo seu, no qual você irá escrever o que desejar ...


 FELIZ LIVRO NOVO !!!

26 de dezembro de 2014

Tempos Idos



Praça do Ferreira, fins dos anos 50/início dos anos 60
 com os edifícios São Luis e Sul América e o Abrigo Central. O Ed. Jereissati, inaugurado em 1964 e que abrigou o Hotel Savannah até 1983, ainda não tinha sido levantado. Esta era a velha e tradicional Praça do Ferreira: Coluna da Hora, muitas árvores e ônibus multicoloridos.

Que venha 2015!

 
 
Na noite de 31 vamos olhar para o céu e lembrar de tudo que vivemos esse ano: as mágoas, os sorrisos, as lágrimas, as histórias, as boas amizades, os que se foram porque não souberam nos aceitar tal como somos  (sem mágoa), os bons e maus momentos que serviram como aprendizado. Não nos arrependemos de nada pois foram esses momentos que fizeram com que esse ano fizesse a diferença na nossa vida. E que venha 2015!
 
 
 

22 de dezembro de 2014

Revendo Fortaleza






Fafá não anda...caminha, ...chamando atenção de tão pequena que é, não se precipita...espera o momento certo. Não pensa em quantidade...prefere qualidade. Não insinua...mostra sutilmente. Não é inteligente, é sábia. Não vê..observa.. Não julga, analisa. Não prende....deixa livre porque sabe o que quer, como quer e quando quer.
 
 

 
Essa semana peguei uma carona para um aniversário, de repente me vi circulando pelo centro da Fortaleza que tanto curtia a pé quando não havia violência.
 
 Foi emocionante rever a Praça José de Alencar, o teatro, a Igreja do Patrocínio, mas não vi mais a MESBLA, o ROMCY, as casas de disco onde eu era habituée na juventude.
 
Depois pegamos a orla marítima, e nos deparamos com a FORTALEZA QUE DEU CERTO. Tudo muito bonito, iluminado....enfim chegamos ao local da festa e a emoção foi maior comemorando o niver da querida sobrinha CRISTIANA onde tivemos a oportunidade de abraçar os irmãos e sobrinhos.  Obrigada pela carona, Isabela.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

20 de dezembro de 2014

O CHALÉ DE TIA IZA





O CHALÉ DE TIA IZA

 Nas rotineiras andanças
 Quando em Beberibe chego
 Ao encontro de sossego
 Sinto de pronto lembranças
 Dos bons tempos de criança.
 Em recordações me entrego
 E fortemente me apego
 É difícil esquecer
 Tem que ver para crer
 Como se torna meu ego!
 .
 .
 Sempre trago na memória
 A forte recordação
 De sentir a sensação
 Da sublime trajetória
 No início de minha história.
 Aí surge em um lampejo,
 Aquele intenso desejo
 Com enorme intensidade
 De voltar com brevidade
 Ao meu doce lugarejo.
 .
 .
 As residências singelas
 De tijolo e sem reboco
 Não são de estilo barroco
 Porém são muito belas
 Bonitas como só elas!
 O decoro as enfatiza,
 Para gostar se precisa
 Com muito zelo atentar
 Vale muito observar
 O Chalé de Tia Isa!
 .
 .
 Ela e Tio Chiquinho
 Seu esposo bem amado
 Homem bom e estimado
 Ocupavam-no sozinhos
 Desde quando eu pequenininho.
 As filhas com os seus pares
 Moravam noutros lugares
 Por força dos casamentos
 Só os viam por momentos
 Não obstante os pesares!
 .
 .
 Naquela casa, entretanto,
 Não faltava companhia
 Tinha bastante alegria
 Toda a família, porquanto,
 Punha a saudade a um canto!
 Em qualquer ocasião
 Era clima de diversão
 Uma coisa impressionante
 A ternura ali reinante
 Guardo no meu coração!
 .
 .
 Ficava junto ao Machado
 Bem na beira do Riacho
 E tanto mais assim eu acho
 Por suas águas molhado
 Era bem mais estimado!
 Olvidar é inevitável
 Totalmente inviável
 Tão lindo e bençoado
 O meu doce povoado
 De clima alegre e saudável!
 .

 Salve, salve meu sertão
 Terra de amor e paz
 Aonde o homem é capaz
 De viver com emoção
 Seu amor, sua paixão!
 Terra só de encantos
 Em todos os seus recantos
 Onde se ver alegria
 Beleza e harmonia
 E outros prazeres tantos!
 João Bitu


*********************************************************************************
João,,

O blog fica mais rico com a sua poesia. Receba o abraço de aniversário daquele bom encontro em Beberibe e os nossos parabéns pela homenagem  ao CHALÉ DE TIA ISA.
A BITULÂNDIA

17 de dezembro de 2014

Hoje tem festa na BITULÂNDIA




Eis a filha mais velha de nosso poeta homenageando seu irmão mais novo:
 
Hoje dia 18/12 o dia é todo dele, meu irmão Luis Bitu. Ele que não deixa de falar comigo todos os dias seja pelo watsap, telefone, ou por qualquer outro meio, que me envia vídeos, ás vezes tão extravagantes...kakaka . Quase todas as manhãs quando entro no facebook, lá está uma música dos bons tempos oferecida a mim por ele. Ele que é filho, esposo e pai zeloso é responsável, muitas vezes é um grande palhaço que todos amamos e admiramos. Parabéns meu irmão !!!! Que Deus continue abençoando sua vida ricamente. Beijos. Amo você ,
Verinha
 

Esse menino é tão Luiz para você como meu irmão Luiz era para mim. Acompanho as homenagens todo dia. Lembro de sua infância na ADOLFO CAMPELO quando o padeiro passava: " OLHA O PÃO, LUIZ"
Feliz Aniversário, Luizinho!
TIA FAFÁ
 
 

11 de dezembro de 2014

FELIZ DA VIDA - JOÃO BITU






FELIZ DA VIDA
 Já estamos em dezembro
 É mês de muita alegria
 Comemoro todo dia
 A vida como a relembro,
 Ainda mais quando lembro
 Que a velhice não afugenta
 Ao contrário me contenta
 E bastante me comove,
 Saio dos setenta e nove
 E adentro nos oitenta!

 Poucos conseguem alcançar
 Sua terceira idade
 Com tanta vitalidade
 Paz e amor para dar.
 Vale então, comemorar!
 Que DEUS dê extensa vida,
 Harmonia merecida
 A todo aquele que crer
 E que faz por merecer
 Longa vida e bem vivida!
 Com justiça e com decência
 Honradez e honestidade
 Conservando em verdade
 Por toda sua existência
 A pureza de consciência.
 A nobreza só engrandece
 Sempre e sempre enobrece
 Os corações virtuosos
 Que estarão vitoriosos
 Onde a paz se estabelece!
 Que eu mereça esta glória
 Como me foi reservada
 Saudável e abençoada
 Por toda a trajetória
Vivida só com vitória.
 Desde quando pequenino
 Pretendi ser bom menino
 Para quando chegar a hora
 Não importa se for agora
 Alcançar um bom destino.
 A família está criada
 Cada filho é um exemplo
 Às vezes eu a contemplo
 Sinto a alma contemplada
 Que família abençoada!
 Todos eles já são pais
 Felizes até demais
 São todos bem empregados
 Não deixam quaisquer cuidados
 Só alegrias a mais!
 Como sênior sou bem visto
 A família me tem estima
 Vivendo então neste clima
 Sou muito grato por isto.
 Sabe lá o que é ser benquisto?!
 Não por orgulho e nem nada
 Digo de alma lavada
 Com muita honra e prazer
É delicioso ser
 O "mais velho" da Bituzada.
 João Bitu

8 de dezembro de 2014

No DIA DA FAMÍLIA O RECADO DA BITULÂNDIA






Vivemos   positivamente
Somos unidos e  muito felizes
temos  a paz do Senhor em nossos corações
alcançamos tudo que pedimos
porque acreditamos firmemente no poder da mente.
 
 

 

7 de dezembro de 2014

Meus tios e primos viveram aí - por Antônio Duarte



Ter nascido nesse torrão, andar pelas ruas dessa cidade, subir a ladeira que ladeia a Igreja de São Raimundo entrar nela e rezar lembrando que ali fui batizado, que mamãe e papai ali me tiveram nos braços, olhar para o edifício em frente a Igreja e imaginar que ali viveram os Bitus - Meus Tios e Primos - ler e RELER incontáveis vezes os versos precisos e preciosos de meu primo João Bitu - tudo isso é muito emocionante. Agora, vai admirar essa foto desse "arrozal" aí, ah, minha gente, isso me comove demais. Haja coração!
Antônio Duarte

*******************************************************
GENTILEZA - MARISA MONTE

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
A palavra no muro ficou coberta de tinta

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
Só ficou no muro tristeza e tinta fresca

Nós que passamos apressados
Pelas ruas da cidade
Merecemos ler as letras e as palavras de gentileza

Por isso eu pergunto a você no mundo
Se é mais inteligente o livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola
A vida é um circo
Amor palavra que liberta
Já dizia um profeta

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
Só ficou no muro tristeza e tinta fresca
Por isso eu pergunto a você no mundo
Se é mais inteligente o livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola
A vida é um circo
Amor palavra que liberta
Já dizia o profeta

Link: http://www.vagalume.com.br/marisa-monte/apagaram-tudo.html#ixzz3LFwFIjGk











Acontecendo em Fortaleza





Acontecendo em Fortaleza a XI BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO NO CEARÁ.

Enquanto  muita gente  associa o domingo à praia e sol, hoje temos uma sugestão diferente e muito divertida: vem pra Bienal!

XI Bienal Internacional do Livro do Ceará

5 de dezembro de 2014

AOS AMIGOS DE FÉ

 
Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO, mesmo sabendo que as rosas não falam...
 
Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, dolorosa...
 
Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas...
 
Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS, mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, reconhecer e retribuir esta ajuda...
 
Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo que inúmeras forças querem que eu caia...
 
Que eu não perca a VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...
 
Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão meus olhos...
               
Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda são dois adversários extremamente perigosos...
               
Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...
               
Que eu não perca o SENTIMENTO DE JUSTIÇA, mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu...
               
Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo que um dia meus braços estarão fracos...
               
Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VER, mesmo sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...
               
Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...
               
Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...
               
Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo sabendo que o mundo é pequeno...
               
E acima de tudo...
               
Que eu jamais  esqueça que Deus me ama infinitamente!
               
Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...
               
A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS E CONCRETIZADA NO AMOR!
Chico Xavier

(Texto enviado pelo colaborador ERNANDES FILHO)

25 de novembro de 2014

COISAS QUE FAZEM HISTÓRIA - JOÃO BITU


COISAS QUE FAZEM HISTÓRIA
 " Dedico a Isabel Bitu ( Também DENIZARD " a única da família com melhor condição de lembrar a maioria dos fatos )
 A antiga bodega de Seu Zé Bitu
 E a de Seu Dudu, que ficava na frente
 Em plena atividade “ali ficarão”,
 E permanecerão, fixas em minha mente

 Maria Vieira, em frente à Usina
 Ela e Valdivina, mais um rapazinho
 Que para o sustento, mantinham uma venda
 Lugar de merenda, simples cafezinho!
 Depois vinha a casa de Mário Cassundé
 Recordo-me até, tinha ele adiante
 Um simples barzinho até bem frequentado
 Quase só ocupado por gente elegante!
 Um mui bem cuidado, amplo casarão
 Por Emília de Romão e a cantora Romana
 O seu irmão Toim e também Dona Caixinha
 A Professorinha, eficiente e humana!
 Bem na primeira grande residência
 Lá morava Vicência, viúva de Cazuza
 A Mãe de Tibúrcio, de Chico e Lizier
 Ao que parece crer, ...a mente está confusa!!!
 O Senhor Raimundo... Luiz de Oliveira
 Filho de Mangabeira, esposo de Louzinha
 Eram Pais de Francisco, Edilson e Leônia
 Família idônea, gente de alta linha!
 Dona Irinéia e Pedro Lourenço
 Classe a que pertenço, casal solitário
 Eram boa gente bastante honesta
 Não eram de festa bem pelo contrário!
 Na casa e Cartório do Velho Dudau
 Tinha Pedro (”Piau”) ... Alves de Morais.
 O Velho era casado com Dona Matilde
 Uma Senhora humilde, simples até demais
 O Pároco José... Otávio de Andrade
 Foi a Divindade, que a muitos benzeu
 Desde Juazeirinho até Boa Vista
 Sempre com João Batista ou com Seu Amadeu.
 O Ex-Deputado Otacílio Correia
 Cômico de mão cheia, teve a glória sua
 Através de decreto de ordem Municipal
 Tendo do povo o aval, deu nome a nossa Rua!
 Santo Ambrózio ou São Raimundo
 Com o seu olhar profundo "via" com muita ternura
 Zé Bitu e Seu Dirceu que habitavam bem em frente
 Dois homens decentes, duas nobres criaturas!
 O casarão de Toim Primo, dono lá do Baixio
 Não tinha nada de frio, era uma quentura só
 Que o fim desta história junto dela esteja
 E o SENHOR nos proteja, ampare e tenha dó!
 E eis finalmente a USINA DINIZ
 (Josué, Tatí e Luiz) – de saudosa memória.
 As casas de Emídio e Vicente Cassundé
 Que hoje destroço é, ficou para a história!
 João Bitu

22 de novembro de 2014

DIA DO MÚSICO

 
 



A você, músico, que canta e encanta com a magia de criar um som,
de tocar corações, de unir almas.
A nossa singela homenagem!!!
Cante, toque, encante





Agenda da felicidade

 
 



O Sorriso
É o cartão de visita das pessoas saudáveis.
 Distribua-o gentilmente.

 O Diálogo

É a ponte que liga as duas margens, do eu à do tu.
 Transmita-o bastante.

 O Amor

É a melhor música na partitura da vida.
 Sem ele, você será um(a) eterno(a) desafinado(a)
.
 A Bondade

É a flor mais atraente do jardim de um coração bem cultivado.
 Plante estas flores.

 A Alegria

É o perfume gratificante, fruto do dever cumprido.
 Esbanje-o, o mundo precisa dele.

 A Paz na Consciência

É o melhor travesseiro para o sono da tranqüilidade.
 Viva em paz consigo mesmo.

 A Fé

É a bússola certa para os navios errantes, incertos, buscando as praias da eternidade. Utilize-a sempre
.
 A Esperança

É o vento bom enfunando as velas do nosso barco.Chame-o para dentro do seu cotidiano.







O DOM DE SORRIR

Se alguma vez você encontrar alguém
 que não consegue sorrir
 seja generoso,
empreste o seu
pois ninguém tem tanta necessidade de um sorriso
quanto aquele que não consegue sorrir

















21 de novembro de 2014

MEU PEDAÇO DE CHÁO AMADO - por João Bitu

MEU PEDAÇO DE CHÁO AMADO
 Sou das Carnaúbas, no alto sertão
 Pedaço de chão que fica entre serras
 Vizinho ao Riacho, em um clima frio
 À beira do Rio, que beleza encerra!

 Ao lindo Riacho, nada a comparar
 Como é bom morar naquele recanto
 Coberto de flores e cheio de rosas
 De frutas gostosas é mesmo um encanto!
 De lindas manhãs, as aves em fuga
 Quem cedo madruga seus olhos encanta
 Chão bem cultivado, muitas plantações
 Os férteis torrões cobertos de planta!
 O Céu estrelado e apaixonante
 Não cessa um instante de tanto brilhar
 As nuvens ausentes ao longe escondidas
 Invejam ofendidas aquele luar!
 O cantar dos pássaros, que alegres passeiam
 Felizes gorjeiam na copa do Oiti
 A brisa agradável à boca da noite
 Do vento o açoite do Aracati
 A velha ribeira que leva à cidade
 Oh quanta saudade eu sinto de lá
 Dos pés de Juá e sua folhagem
 Daquela paragem lá no Jatobá!
 Bem longe nas serras, onde a vista acaba
 Minha alma desaba em doces lembranças
 De tempos passados. Nossos corações
 Trazem recordações de quando em crianças!
 A noite se vem, com suas estrelas
 Faz gosto se vê-las no Céu a brilhar
 Parecem brilhantes lá no horizonte
 Não há quem as conte nem vale tentar
 Meu torrão querido, meu berço amado
 Deixo em ti guardado tudo que há em mim;
 Um grande Amor não tem qualquer preço
 E com muito apreço te amo enfim.
 João Bitu.

19 de novembro de 2014

REFLEXÃO



É Deus quem nos deixa acordar.
 
É Deus quem planeja nosso dia.
 
É Deus quem nos fará vencer.

É DEUS quem cuida de nossos passos e ele vai nos dar força SEMPRE!
 
 
 
 

 

18 de novembro de 2014

Último adeus da madrinha Fideralina

 
Não tenho palavras para expressar meus sentimentos diante dssa perca. Quero apenas externar minha tristeza e pedir a DEUS que conforte "ONEIDA", mãe tudo!!!!!!! Os irmãos: Amélia e Geovane que sentem a perda do irmão querido. MINEZ, esposa que, nunca se afastou do seu querido. MULHER de coragem e de luta. LARA, pequerrucha, será abençoada por Deus sentindo mais tarde a dor de não conviver com aquele a quem já amava tanto. DEUS OS PROTEJA! Ficarei com esse sorriso e sua delicadeza no tratamento que me dava. Sentia-me orgulhosa quando dizia: Bênção MADRINHA!
Fideralina

*******************************************************

 O jovem comerciante Régis Teixeira Leandro, 41, faleceu nesta terça-feira, 18, em Fortaleza. Ele era proprietário de uma loja de material de construção localizada no Centro da cidade. Bem humorado e gentil, Régis deixará saudades entre amigos, familiares e clientes, que soube cativar durante toda a sua vida. O corpo será velado a partir das 22h00 no Centro de Velório Anjo da Guarda. A missa de corpo presente será nesta quarta-feira, às 15h00, na Igreja Matriz de São Raimundo Nonato.

 FONTE - www.varzeaalegre.com

 


 




12 de novembro de 2014

Mensagem da BITULÂNDIA para João Bitu


 Eis a BITULÂNDIA, João Bitu, comemorando seus 3 anos no blog
.
Criamos esse blog tão simplesmente para armazenar nossos escritos e/ ou contatos. Sempre sonhamos em recebê-lo aqui. Consideramos  um verdadeiro milagre pois sabemos que você é um pouco cismado com a máquina internauta. Não tenha medo, vamos proteger você SEMPRE, ninguém aqui vai lhe corrigir, você vai é nos ensinar muito  e não nos agradeça, estamos deverasmente honrados em tê-lo aqui.

Não pretendemos aparecer, ostentar, não nos incomodamos com o número de postagens, queremos apenas reunir aquelas pessoas que realmente fazem a diferença na nossa vida. É como se a gente tivesse na calçada da nossa casa da Major Joaquim Alves, curtindo o pé de castanhola, vendo tudo, os amigos passando para um dedo de prosa e aguardando a chamada da missa que mamãe esperava ansiosa.....a chegada de papai da bodega .... o nosso jantar que era servido às 17 horas, naquela mesa enorme onde papai nos ensinava o valor de reunir a família, a música do Cine Odeon, as meninas se preparando para dar uma volta na pracinha, ver os paqueras, elas tinham ordem de voltar ás 20 horas quando acontecia o famoso terço comandado por Seu Zé Bitu e ai de quem não estivesse presente!

Estamos aqui para recompor a nossa história. Fique tranquilo!!!!!!

Fafá

“Troféu Luiz Gonzaga Orgulho de Caruaru” .



O jornalista varzealegrense, professor e escritor Jurani Clementino, é um dos homenageados durante a 3ª edição do Grande Encontro dos Gonzaguianos em Caruaru – PE. Jurani vai receber “Troféu Luiz Gonzaga Orgulho de Caruaru” pelos serviços prestados à cultura brasileira com a publicação do livro: “Zé Clementino: o ‘matuto’ que devolveu o trono ao rei”. O livro, publicado em 2013, trata da biografia do compositor varzealegrense José Clementino do Nascimento (Zé Clementino), parceiro de Luiz Gonzaga. O evento será realizado no sábado dia 15 de Novembro de 2014, a partir das 14h no Espaço Cultural Asa Branca do Agreste, Bairro Kennedy, em Caruaru. O coordenador do encontro é o pesquisador Luiz Ferreira. Além de Jurani, pesquisadores de Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe e Pernambuco receberão a homenagem.

Jurani Clementino é varzealegrense, primo distante do compositor Zé Clementino, mora em Campina Grande-PB e atualmente faz doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Campina Grande.

10 de novembro de 2014

Sessão de Autógrafos de SÁVIO PINHEIRO





Em Várzea Alegre, Fortaleza, Recife, São Paulo e agora Rio de Janeiro.

Sessão de Autógrafos de SÁVIO PINHEIRO
 PLENÁRIA ITINERANTE DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LITERATURA DE CORDEL (ABLC), DIA 19 DE NOVEMBRO DE 2014, 16h
 RUA FARANI, 53, BOTAFOGO - RIO DE JANEIRO RJ

7 de novembro de 2014

Lembrança do campo



Essa casa é ...
vejo a fumaça na chaminé
 dizer que é coisa fina
 escuto o som da sanfona
 vejo a alegria das meninas
 a beleza deste recanto
iluminado por lamparina
 aí eu tenho que ser franco
 se é eu deitado nesse banco
 tava nem aí pra gasolina.....................
Será verdadeiro ou é pintura?

Luiz Lisboa

5 de novembro de 2014

Parabéns, Vernon!


         DEPOIS DE MUITA LUTA A CANETADA

Muito feliz em ver o sobrinho Vernon assumindo  o concurso no MINISTÉRIO DA FAZENDA
Jamais deixará de ser o garoto de CLÁUDIO que a BITULÂNDIA tanto quer bem. Parabéns!

 


4 de novembro de 2014

99 anos de uma guerreira



Hoje mamãe completaria 99 anos, cumpriu brilhantemente sua missão aqui na terra e agora descansa em paz. Saudades.







2 de novembro de 2014

REVENDO MEU DOCE PASSADO - JOÃO BITU

A antiga Rua Major Joaquim Alves, cuja denominação foi pelos ares para dar vez a outro nome ilustre, este filho da cidade de Várzea-Alegre, tinha início na entrada do corredor que leva aos Grossos, em
direção à cidade de Iguatu e se estendia até as residências de Joaquim Diniz e Hamilton Correia, pelo lado oposto. Não era uma rua muito extensa, mas estava sua grandeza no alinhamento e cuidados de suas bonitas residências e de seus habitantes ilustres. Cabia ali tudo que era bom, pessoas, prédios, praças de diversões, a Catedral, duas usinas e beneficiamento de algodão e o comércio enfim. Inclua-se, naturalmente, a Usina Primo no limiar.
 Os seus moradores eram os mais conceituados cidadãos
 da cidade, a contar os mais ricos assim como outros tantos de menor expressão econômico-financeira, todavia, decentes e trabalhadores honrados e igualmente notáveis.
A indústria e o comércio ali representados por JOSUÉ ALVES DINIZ, um Senhor de grande valor e respeito pela honradez e decência nos negócios e na política, tendo sido eleito Prefeito, ocasião em que mostrou sua alta capacidade administrativa e incontestável honestidade no manuseio dos bens públicos. Teve uma vida de raras virtudes, qualidades que deixou aos filhos por herança. Entre outras obras construídas em sua gestão deixou o prédio onde funciona atualmente a Prefeitura Municipal da cidade e O Centro Administrativo cujo, recebeu o seu nome como homenagem. De grande utilidade comercial, além de funcionar como cabide de empregos também é engrandecido pela oferta e venda de gêneros alimentícios a preços mais accessíveis, graças a centralização de mercadoria. É situado entre as ruas JOSÉ COREIA e a GETÚLIO VARGAS, ao lado do prédio onde funcionou a ESCOLA DOMÉSTICA, instituição educativa onde MARIA SOCORRO BITU, de saudosa memória, concluiu sua educação profissional.
 A seguir a pracinha onde está a Majestosa IGREJA DE SÃO RAIMUNDO, um dos mais belos e tradicionais monumentos em toda região Centro Sul do Estado, orgulho de Várzea-Alegre, cuja torre é vista ao longe com todo seu esplendo, com a estátua do padroeiro São Raimundo Nonato, encimando sua grandeza e invejável beleza, como que a olhar e abençoar o casarão de ZÈ BITU, em cujo toda Bituzada teve sua existência feliz. Nada se pode comparar a sua semelhante e maravilhosa vista mesmo à distância. Ladeada pela casa Paroquial de forma adequada e justa para os serviços religiosos, onde residem o Vigário e seus auxiliares instalados em suas dependências, bem como acomodações para os visitantes de outras paróquias circunvizinhas, quando das festividades costumeiras. Nossa Catedral é alvo de admiração em toda parte!
 A PREFEITURA MUNICIPAL fica situada bem perto da referida pracinha, construída onde fora antigamente a querida e super- frequentada Praça Velha, em que a juventude tinha seu reduto e alegria ao passear às noitinhas ao som da AMPLIFICADORA VOZ DE VÁRZEA-ALEGRE”, comandada por Walquírio Correia, com as oferendas musicais e suas brincadeiras alegres dirigidas a cada ouvinte e admirador
 Quanta saudade!
 A parte comercial de maior destaque tem aí o seu início, considerando as lojas de tecidos. De Zé Rolim (João Joca foi seu sócio inicialmente), até à casa “ABC” pelo lado direito e, em frente RAIMUNDO SILVINO e ZÉ BILÉ com lojas de variedades Neste meio, isto é, entremeando o comercio havia outra “pracinha” muito concorrida ao anoitecer pelos jovens namorados da cidade, igualmente assistida ao som da Amplificadora e sua música contemporânea. AÍ estava o coração musical de toda juventude! Encontro infalível de toda mocidade!
 A nossa estimada Rua Major Joaquim Alves termina aqui, onde as nossas saudades marcam o seu início. É necessário que se lembre aquelas músicas da velha guarda. Músicas que marcaram cada uma de nossas SAUDÁVEIS paqueras, cada um de nossos “flêrtes discretos, os recadinhos trocados que foram ou não foram respondidos! Cantores famosos que davam a cada melodia a riqueza de sua interpretação. Está, entendo eu, para nascer a pessoa contemporânea que não lembre da valsa BRANCA, do Bolero DEZ ANOS, A Pérola e o Rubi, Tarde Fria, Pecado Original e outros tantos sucessos da época!!! Aposto que alguns de meus leitores não vão dormir hoje sem antes cantarolar um pouco, recordando velhas músicas que lhe marcaram naquele passado tão doce!
Muitos casais que até hoje permanecem unidos e felizes tiveram o início de seus idílios naquelas pracinhas abençoadas. Podem contar agora aos filhos quão linda era a vida simples naqueles pedacinhos de chão alegres, em nossa querida e inesquecível VÁRZEA-ALEGRE. Havia serenidade, havia doçura e muita pureza dentro de cada namorado, candidato ao matrimônio. Amor verdadeiro, confiança e admiração recíproca. Impossível esquecer!
 DEUS que tão graciosamente contemplou a nossa geração, dê aos nossos descendentes a mesma felicidade com que até hoje nos tem premiado. Vida longa, amor real aos nossos cônjuges e poder de reconhecimento fiel e inalterável.
Que nos abençoe hoje e sempre a nós e aos nossos estimados filhos e netos.
 João Bitu

RECADO

Fafá, liguei  várias vezes pra vc desde ontem e não atende. Estou sem o Fixo e ligo do Claro e nada.
Entra em contato, tá? Fridda

ETERNA GRATIDÃO A RAIMUNDO BITU - REPRISE


 
RAIMUNDO BITU, meu amado irmão, se estivesse entre nós, estaria completando 74 anos.
Nasceu exatamente no DIA DE FINADOS. Difícil falar algo sobre ele porque em vida já era uma pessoa admirável, digna dos maiores elogios.

Costumo dizer que era meu segundo pai. Quase não viveu em função dele, se preocupava com tudo e todos. Ajudou nossos pais na educação dos irmãos mais novos. Quando Maria Cleide ficou viúva ele se doou de corpo e alma, ajudando a criar seus 4 filhos como se fossem seus
.

Dizia que não podia casar pois precisava ajudar a mim e a Zezê que tínhamos limitações para ele muito fortes na época. Na minha formatura enviei um convite e ele respondeu que não merecia receber pois sempre achou que eu ia passar a vida inteira dependente dele.

Era conhecido como uma pessoa fechada, moralista mas quando falava algo era de coração. Referia-se a mim quando estava entre amigos como a PEQUENA GRANDE MARIA DE FÁTIMA.

 
Morou muito tempo em Várzea Alegre, sempre ajudando meus pais. Em Juazeiro trabalhou como funcionário do INSS e quando papai começou a apresentar sintomas de arterioesclorose pediu transferência, para nos ajudar, alugou um apartamento no condomínio onde moro.

Acompanhou nossos pais até os últimos momentos, só então resolveu cuidar de sua vida, já casou tarde, sua grande paixão era seu filho MÁRCIO JOSÉ que hoje tem 22 anos.

Acompanhei seus últimos momentos de vida, vítima de um cãncer violento no pâncreas. Suas últimas palavras foram para: "Padre Cícero, sua esposa e seu filho Márcio José". Morreu rodeado de todos os irmãos e sobrinhos a quem ele dedicou  sua vida.

Minha homenagem de hoje é para você, meu irmão querido! A minha gratidão ultrapassa os limites terrenos para te alcançar onde estiveres na paz do Senhor!
Maria de Fátima Bitu

Aos que já partiram








 
Aos meus pais
Meus irmãos
Raimundo, Luís
Socorro e Cláudio.
minha eterna saudade

1 de novembro de 2014

Parabéns, querido irmão!








 Novembro chegando e trazendo os 66 anos de Cícero Bitu. Uma pessoa de poucas palavras mas de uma bondade infinita. Apaixonado pelo Ceará Sporting Club e pelo Vasco da Gama. Deixo essa música como lembrança da juventude. Parabéns, querido irmão!


 



30 de outubro de 2014

Calem a Boca Nordestinos!

Calem a Boca Nordestinos!
 
 Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste! Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país?
 Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz?

 Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo? Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS!!!
 E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano. Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.
 Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura… Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner…E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melofias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia…
 Ah! Nordestinos…
 Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura. E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros à força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país. Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo? Um conselho, pobres nordestinos. Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar. Por que não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê!
 Por que não aprendem do pagode gostoso de Netinho de Paula? E ainda poderiam levar suas meninas para “um dia de princesa” (se não apanharem no caminho)! Ou então o rock melódico e poético de Supla! Vocês adorariam!!!Mas se não quiserem, podemos pedir ao pessoal aqui do lado, do Mato Grosso do Sul, que lhes exporte o sertanejo universitário… coisa da melhor qualidade!
 Ah! E sem falar numa coisa que vocês tem que aprender conosco, povo civilizado, branco e intelectualizado: explorar bem o trabalho infantil! Vocês não sabem, mas na verdade não está em jogo se é ou não trabalho infantil (isso pouco vale pra justiça), o que importa mesmo é o QUANTO esse trabalho infantil vai render. Ou vocês não perceberam ainda que suas crianças não podem trabalhar nas plantações, nas roças, etc. porque isso as afasta da escola e é um trabalho horroroso e sujo, mas na verdade, é porque ganha pouco. Bom mesmo é a menina deixar de estudar pra ser modelo e sustentar os pais, ou ser atriz mirim ou cantora e ter a sua vida totalmente modificada, mesmo que não tenha estrutura psicológica pra isso… mas o que importa mesmo é que vão encher o bolso e nunca precisarão de Bolsa-família, daí, é fácil criticar quem precisa!
 Minha mensagem então é essa: – Calem a boca, nordestinos!
 Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.
 Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”
 Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!
 Por José Barbosa Junior

28 de outubro de 2014

AO SERVIDOR PÚBLICO



Parabéns a todos os servidores públicos e em especial aos que trabalham no CENTRO DE LÍNGUAS - IMPARH,. Trabalhei nessa entidade durante 25 anos e não poderia deixar passar essa data  em branco. O professor é também um funcionário a partir do momento que  interage com aquelas pessoas mágicas que contribuem para o bom andamento de nosso trabalho  e são tantos e tão queridos! Já estou afastada por tempo de serviço mas não esqueço da nossa convivência. Parabéns prezado colega! Você é acima de tudo um grande guerreiro.
Considero essa foto uma relíquia, aí estamos na sala dos professores com as secretárias ANA BRITO E VERÔNICA.

20 de outubro de 2014

DAS CARNAÚBAS À CIDADE - JOÃO BITU






DAS CARNAÚBAS À CIDADE
Quero hoje andar montado
 Através do pensamento
 Esquecer por um momento
 Este viver agitado
 Cavalgando no passado!!
 Meu bom Pai por empreitada
 Confiava-me a jornada
 De ir à RUA em cangalha
 Se a memória não me falha
 Sempre na burra Dourada!

Eu usava este animal
 Quase que todo dia
 Pra buscar mercadoria
 Na bodega de Lourival
 Aquilo mais trivial
 De grande necessidade.
 O de maior raridade
 Se ali viesse a faltar
 Então eu ia comprar
 Noutros pontos da cidade.

Eu saia às sete horas
 Pela manhã bem cedinho
 Cavalgando com carinho
 Não usava nem esporas! ...
 Se não houvesse demoras
 Nada surgisse em contrário
 Ao curso do itinerário,
 Após cumprir a missão
 Sem causar preocupação
 Voltava sempre no horário

Montava junto à calçada
 Acionava a condução
 Pelo lado do casarão
 Iniciava a jornada
 Que me fora confiada.
 Minha vontade primeira
 Era de qualquer maneira
 Parar um pouco que fosse
 Na casinha de João Posse
 Depois chegar a Ribeira!

Eu nem sentia calor
 Alegre e sempre cantando
 Minha montada trotando
 Até Manoel Salvador,
 Eu dava o maior valor!
 Ninguém mais feliz que eu
 Nada mau me aconteceu
 Era uma maravilha
 Depois chegava à Forquilha
 Onde minha Mãe nasceu!

Um pouquinho antes só
 Tinha Maria Vitorino
 Que cozia um divino
 E gostoso Pão de Ló,
 Cujo, segundo Vovó,
 A gente come que abusa
 Por mais que ela produza
 Não logra dar vencimento
 Tudo se vai em um momento
 Pondo o freguês ao relento
 E muita gente confusa!

Atravessava o Machado
 Uma ponta do Riacho
 Ali já perto eu acho
 Se não estou enganado
 Era meio caminho andado.
 Minha burra era um tesouro
 E sempre dava no couro
 Em tempo algum falhava,
 Logo, logo se alcançava
 A várzea do Bebedouro.

São Cosme ficava adiante
 Logo após Bebedouro
 “Dos “COSTA” um logradouro”
 Seu principal habitante
 Uma família importante!
 Para falar a verdade
 Com toda sinceridade
 Eu já me sentia assim
 Depois de Fábio Pimpim
 Em clima já da cidade.

Quando a tarde começava
 Eu já estava voltando
 Bem devagar cavalgando
 Como sempre eu gostava
 E o bom senso mandava.
 O sol quente feito brasa
 Mas isto não me atrasa
 Fazia mesmo questão
 De não causar inquietação
 Chegando na hora em casa

Com a carcaça cansada
 Porém muito satisfeito
 Comprara tudo direito
 Não tinha esquecido nada,
 Também a burra Dourada
 Apesar do corpo doído
 Eu estava convencido
 Pela sua expressão
 Que mostrava a sensação
 Também - do dever cumprido.

João Bitu

18 de outubro de 2014

DIA DO MÉDICO - por Sávio Pinheiro





DIA DO MÉDICO
(ainda atual)
 Abaixo de Deus...
 Só o senhor, doutor!

 No meu recatado universo hipocrático, percebo no dia do médico um sentimento diferente dispensado pelas instituições de saúde aos possuidores da milenar arte de curar como não havia jamais acontecido.
 Sinto, comovido, como se pulverizou o sentimentalismo que transmitia ao esculápio uma postura mística, profissional, social e individual, digna, e que fazia do profissional da medicina uma figura quase que enigmática. Não que o médico queira ou detenha essa marca, mas por uma cultura imposta milenarmente pelo imaginário popular.
 O misticismo da medicina entrou em decadência quando a sociedade, através dos meios de comunicação e orientações educativas, teve acesso as informações e aos métodos científicos empregados, o que foi bastante benéfico para a população. Todavia, a decadência dos demais atributos ousa acontecer de forma mais contundente.
 A maneira desrespeitosa e assustadora que as esferas governamentais estão dispensando a esse segmento profissional dissemina-se sobre a sociedade de modo equivocado produzindo uma cobrança social exagerada, cuja solução não está sendo devidamente planejada ou executada. Há muito, o setor saúde deixou o posto de prioridade.
 A profissão de médico perde o encanto num momento em que todos se acham sê-lo, vez em quando ou toda vez, devido a uma banalização profissional impetrada decorrente da crescente carência de profissionais e da diminuta oferta de serviços, favorecendo, sobremaneira, o descontentamento agressivo de uma demanda reprimida. Daí, os discípulos de Hipócrates rezarem uníssonos:
 - Oh, quão ingrata és tu, plêiade respeitosa, que nos desprezais!
 No mais, só nos resta, para o sossego da nossa já tão deteriorada autoestima, o consolo da magnífica pérola de domínio público, que nos coloca no segundo escalão da existência universal:
 Abaixo de Deus...
 Só o senhor, doutor!

15 de outubro de 2014

MINHA ALUNA – ZEZÊ BITU - por ISABEL VIEIRA




MINHA ALUNA – ZEZÊ BITU

Sob as bênçãos do SENHOR
Sua vida foi GERADA
E em todos os momentos
Por ELE sempre GUIADA...!!!
ZEZÊ, dádiva divina
De família ABENÇOADA
Pela maneira de ser
É por todos muito AMADA...
Menina, moça, mulher
Uma jóia PRECIOSA
Portadora de virtudes
Fiel e RELIGIOSA ...
Minha amiga, minha aluna
No Colégio São RAIMUNDO
Atenciosa e esforçada
Pessoa melhor do MUNDO...
Naquele tempo, bem jovem
Dentro das LIMITAÇÕES
Com esforços aprendeu
De português, muitas LIÇÕES...
Empenhou-se na sintaxe
Funções do “quê” ESTUDOU
Verbos e acentuação
Por tudo se INTERESSOU...
Também nas outras matérias
Sempre se esforçou BASTANTE
Buscando os conhecimentos
Sem perder nenhum INSTANTE...
Recebia de suas manas
Apoio e ORIENTAÇÃO
Elas todas sempre unidas
No ideal da EDUCAÇÃO...
Uma estudante pontual
Obediente e DEDICADA
Por professores e colegas
Era bastante ESTIMADA.
ZEZÊ, com seu jeito meigo
Cativou todo PESSOAL
Era aquela discente
De uma calma sem IGUAL...
Dos nobres familiares
Recebe atenção e CARINHO
Vive ao lado da FAFÁ
No aconchego do seu NINHO...
Dessa prezada estudante
Jamais vou me ESQUECER
Pra ela, todo o meu afeto
Isto eu me orgulho em DIZER...
Que a nossa Mãe Maria
Com seu manto PROTETOR
Cubra-a constantemente
Com saúde , paz e AMOR...!!!
Quão valioso foi o tempo
Naquela Escola QUERIDA
Com luta, paz e união
Buscávamos o “BEM” pra VIDA...
Nestes versinhos singelos
Sem normas OBEDECER
Venho com toda alegria
Um presente lhe TRAZER,
Minha amizade sincera
Com o meu maior PRAZER...!!!
A você, querida ZEZÊ, com um carinho todo ESPECIAL!!!
Sua professora e amiga, ISABEL VIEIRA DE OLIVEIRA SILVA
JUAZEIRO DO NORTE, CE, 28 de junho de 2011
(Claro que é mais uma reprise mas como eu consegui fazer a montagem que Zezê sempre sonhou, achei que o texto ideal seria esse. PARABÉNS, ISABEL VIEIRA!)

14 de outubro de 2014

CONFISSÃO - JOÃO BITU

CONFISSÃO
 Andei triste... até fiz jura.
 Pretendi não mais rimar
 Pensei mesmo em parar
 E dedicar-me a leitura.
 Sem ânimo e sem postura,
 Com pouca inspiração
 Sem poder de criação!
 Pensei melhor, entretanto,
 A prosseguir por enquanto,
 Foi aí, então, que a fé
 Fez manter-me de pé
 E pôs fim ao desencanto!

 Fazendo todo o possível
 Criei a primeira estrofe
 Verifiquei pelo roscofe
 E achei então incrível!
 Pois fiz em tempo plausível.
 E adotei outra conduta
 Com certeza absoluta
 De que vou me superar
 Não vou assim me entregar
 Pretendo me recuperar
 E continuar na luta.
 A família me incentiva
 E os amigos também
 Assim acho que convém
 Voltar firme para ativa.
 É a melhor perspectiva
 Pra mais uns anos de vida
 Uma vida bem mais vivida
 Com esperança e coragem
 Seguir firme na viagem
 Viagem mais aguerrida!
 Fazer versos foi o dom
 A que DEUS me encaminhou
 E se abrir mão eu vou
 Caminhar fora de tom
 Não é mesmo nada bom,
 É não ser reconhecido
 E nem pouco agradecido
 Pela graça recebida
 Que me deu razão de vida
 E me fez mais conhecido!
 Não busco notoriedade
 Mostrar-me como se diz
 Quero apenas ser feliz
 Fazendo como se diz
 O que gosto na verdade,
 Com toda sinceridade!
 Se um pouco de estro resta
 Para o que quero se presta
 Vou seguindo o meu caminho
 Com muito amor e carinho
 E o coração em festa!
 O meu muito obrigado
 Para quem me encoraja
 E que muita gente haja
 Sempre firme ao meu lado
 Deixando-me encorajado!
 Segurando firme o remo
 Nada no mundo eu temo
 Conduzindo firme a nau
 Nada me haverá de mau
 Com a proteção do Supremo!
 João Bitu

Je Vous En Remercie - por Fátima Bitu

 
 
Sempre gostei muito de música desde a remota  infância/adolescência. Na minha cidade  era difícil sintonizar a RÁDIO SOCIEDADE DA BAHIA mas eu esperava ficar tarde da noite e eu conseguia ouvir minha música predileta: TOUS LES GARÇONS ET LES FILLES DE MON ÂGE. Não sabia o que Françoise Hardy dizia mas eu já me encantava com a melodia.  O destino tem seus caprichos.
 
Quando cheguei ao então ginásio, o francês  era a língua estrangeira obrigatória. Lembro  com muita emoção da primeira lição: " Après un mois et demi de delicieuses vacances me voici de nouveau devant mon professeur et mes camarades.". .
 
 Vim morar em Fortaleza, passei no vestibular de LETRAS e  o francês  me encantou definitivamente… É sonoro, qualquer frase parece uma canção.
 
Ensinei 25 anos, fiz um curso de conversação em Paris de onde tenho as melhores recordações.
 
Até hoje tenho bons contatos com aqueles alunos que se destacaram e hoje são também professores, intérpretes e/ou tradutores assim como eu.
 
Dedico essa postagem aos professores que me influenciaram a chegar onde estou: Dona Elisa, Dona Aniete, Dadá Piau, Dona Iracy Bezerra, Lourdinha Dias Branco, Fátima Viana, Italo Gurgel, ao CENTRO DE LÍNGUAS - IMPARH onde trabalhei até me aposentar. Je vous en remercie,
Fátima Bitu
 
 
 


 

10 de outubro de 2014

UMA OUTRA PORTA - por João Bitu






UMA OUTRA PORTA
 Sinto-me um homem bastante sadio
 Graças a Deus calmo e tranqüilo
 Já passei por isto, passei aquilo
 Mas superei e com muito brio...
 Não é, pois qualquer um arrepio
 Que me coloca fraco e acamado
 Sou destemido e abençoado
 E graças Àquele em quem tanto creio
 De coisa alguma tenho eu receio
 Estou sempre alegre e bem humorado!


 Sofri uma delicada cirurgia
De um tumor maligno na garganta
 Benditas sejam aquelas mãos santas
 Que fizeram a faringolaringectomia.
Curado estou, tenho saúde e alegria
 Que é tudo o que me importa
 Eu louvo ao Senhor que me conforta
 Curto a sobrevida harmoniosa e bela
 Lembrando que ELE quando fecha uma janela
 De imediato nos abre uma “Outra Porta”

 João Bitu

8 de outubro de 2014

Orgulho de ser nordestina - reprise

 
 
 
 
Orgulho de ser nordestina
Nasci em Várzea Alegre, sul do Ceará, pensa numa nordestina arretada,  que  se orgulha de falar cantando!  Falo oxente, vôte e danou-se. Viche, Maria.  O meu jeito de falar é o mais fiel retrato da minha terra. Os amigos acham até engraçado porque falo francês cantando. Fico de olho numa mesa farta de pirão, baião de dois, carne assada, mungunzá, canjica, pamonha, galinha caipira, cafezinho com cuzcuz. Delícia! Emociono-me ao ouvir  Chico de Amadeu cantando LINDA BREJEIRA. Guardo as melhores recordações das noites de São João e São Pedro tocadas por aquele sanfoneiro famoso. Agora no dia de CORPUS CHRISTI me emocionei ao ver passar a procissão diante do condomínio em que moro em Fortaleza. Fiquei observando aquelas pessoas sofridas, rezando, cantando em pleno sol quente. A ladainha, o cheiro de incenso, os pés descalços, o véu sobre a cabeça( minha mãe usava tudo isso), o terço entre os dedos.A grandeza de uma fé que não se abala. O som do sino repicando na torre da igreja, a chamada da missa. Tudo isso me veio novamente como um bom filme que se assiste 2, 3 vezes.
Admiro e me emociono com o improviso do poeta popular, a beleza do maneiro-pau, a alegria da quadrilha. O nordestino é acima de tudo um herói, e nos cordéis do tempo se registra a sua história.
Tenho orgulho de ser nordestina mas   me aborreço demais quando alguém tenta falar diferente envergonhado de sua nordestinidade
.
 
 
 
 
 

5 de outubro de 2014

O SÍTIO CARNAÚBAS - João Bitu

O SÍTIO CARNAÚBAS
 
 É um pedaço de chão fértil, produtivo e saudável situado no Município de Várzea-Alegre à encosta do Riacho do Machado, vertiginosamente belo e utilíssimo pela enorme riqueza das águas correntes que banham as margens verdejantes, quando das enchentes transbordantes durante o período chuvoso. É de uma riqueza imensurável que presenteia seus habitantes com muita alegria e felicidade em razão da farta produção agrícola e da pastagem abundante que alimenta os animais ali existentes.
 Aquele sítio fica situado entre as Lagoas e Juazeirinho no sentido Várzea-Alegre/Distrito do Canindezinho, próximo à Estrada Velha e Jatobá onde tremulava a folhagem nos famosos pés de Juazeiro, em número de quatro, com sombra convidativa para os transeuntes costumeiros que lá descansavam de suas caminhadas.
 Nas Carnaúbas, pois, foi onde POMPILIO VELHO testemunhou o meu nascimento que originou o surgimento de uma prole bem sucedida e estimada que veio a se chamar “A BITUZADA”, por determinado poeta em inspirada ocasião.
 ZÉ BITU – seu líder abençoado - era um homem de muita inteligência e sabedoria e até certo ponto um tanto introvertido, não se ligando ao “disse me disse” que de qualquer esquina par-
 tia, limitando-se ao repente habitual que lhe era instintivamente comum, contando-o na ocasião e local adequados.
Ao seu lado Dona Vicentina, a companheira virtuosa e dinâmica vigiava com rara competência a criação dos filhos a quem juntos davam educação a mais completa e primordial, incutindo neles com muito amor os princípios necessários ao dia de amanhã. Eram os dois, exemplos da mais perfeita grandeza e harmonia diante da prole constituída.
 Dona Vicentina tinha uma irmã chamada ZUCA, que nasceu na FURQUILA, uma moça muito dócil, bonita e prendada que foi morar conosco nas CARNAÚBAS, onde nos fez companhia por longos anos, até que contraiu núpcias com EURICO DUARTE, foi morar em sua própria casa e posteriormente migraram rumo a SÃO PAULO e outros lugares adjacentes nos quais permanecem até hoje os seus descendentes.
 Além deles, ali residiam os meus Tios Nonôe, Isa e Afonso Bitu descendentes de JOÃO ALVES FEITOSA BITU daquela gente que teve sua origem junto à enorme ramificação que habitava no Sanharol, oriunda dos sertões de Inhamuns.
 Antonio Alves Bitu, meu estimado Padrinho Nonõe, era um fumante inveterado, tinha sempre
seu cigarro de palha colocado atrás da orelha quando não estava tragando, vício que resultou levando-o precocemente à sepultura.
 Tia Isa – santa criatura – casada com Chico Chicô, morava num chalé muito bem acabado jun-
 to do famoso Coaçu que sombreava o passadiço e a cancela da manga dos BITUs. perto do Jaburu, paraíso agrícola do CEL.ZÉ VITORINO, cidadão muito rico da região. Era muito reli-
 giosa e asseada, razão porque era alvo de nossa ais acentuada simpatia.
 Afonso Bitu – o caçula daquela geração em vida – entre os quatro era o mais sacrificado eco-
 nomicamente, vítima ainda de uma viuvez inesperada tendo que assumir a criação de quatro
 filhos pequenos e sem recursos, coitado.
 Esta era a família Bitu que ocupava o nosso querido Sítio Carnaúbas ainda hoje estimado e
que jamais será esquecido em seus mais íntimos pormenores.
 Como morador ainda daquela doce localidade, ocupando um tosco casebre de taipa e,
 vivendo na mais absoluta pobreza, carregado de filhos, só ele e DEUS para criá-los, havia
POMPILIO JOSÉ DUÓ o meu inesquecível amigo, professor e poeta, a quem devo muito do pouco que consegui aprender no âmbito da poesia.
 Daria muito para voltar a vivenciar com aquela gente maravilhosa e saudável do adorável rincão onde fui feliz um dia. Adeus terras de meu coração, que DEUS as conserve em toda sua
magnitude. Um caloroso abraço gente de saudosa memória
 Que saudades daquela infância de glórias
 Quando e onde estas coisas se passaram
 E outros tantos fatos ocorreram
 Suscitando esta singela história
Que pra sempre guardarei na memória.
 Personagens e firmas verdadeiros
 Dos primeiros até aos derradeiros
 De que falo com toda sinceridade
 Com orgulho e muita propriedade
 Como são hábitos meus costumeiros!!.
 João Bitu