31 de março de 2014

O QUE É AMIZADE?



A amizade é o que?
Tu não sabes como
nem porque
flui naturalmente
sem regras de uso
a amizade é a alegria
de se dizer até amanhã
é você, ele, eu
quando juntos
estamos bem.



30 de março de 2014

Varzeaalegrenses rumo à capela de MARIA DE BIL



Jesus Cristo abençoe essa cidade, esse povo maravilhoso, essa gente que tem fé.
 
Conheça a história de Maria de Bil
 
Por volta de ano 1920, chegavam a Várzea Alegre, vindos de Alagoas, Clementino Romeiro, Antonia e seus três filhos, Severino, Maria e Madalena. Para sobreviverem, trabalharam na construção de uma barragem que seria, à época, o açude Olho D’água. A família passou a residir no sítio Inharé, mais precisamente, onde hoje é a casa de seu Zé Bitu e D. Biluca. Nesse período, eram moradores dos Fiúzas do Chico, sendo que plantavam também nas terras de Manoel Leandro e Zé Bitu (Velho), no alto da serra da Charneca.
Maria, uma dos três filhos de Clementino e Antônia, era uma mulher simples. Casou com Bil, migrante da região de Iguatu, em 05 de novembro de 1922, na Igreja Matriz de São Raimundo. O dia do casamento foi marcado por mais 24 matrimônios realizados na mesma data. Entre os que casaram naquele dia, pode-se citar, Joaquim de Sátiro, Joaquim Mandu, Zacarias de Biluca, Dica de Joaquim Bezerra, entre outros. Todos os casais moravam na ribeira do Riacho do Machado e foram casados pelo padre Lima, de Lavras da Mangabeira.
 
Depois de casados, o casal Maria e Bil continuou morando no sítio Inharé,onde já residiam os pais da recém-casada. Da união de Maria e Bil, nasceram dois filhos, Necília e José. Quando Maria estava na sua terceira gravidez, houve um desentendimento entre ela e o marido. O motivo da contenda foi o fato da irmã de Maria, chamada Madalena, que aparentemente tinha problemas visuais, manter um caso amoroso com Bil. Segundo contam, Bil, pretendia fugir com Maria e deixar toda aquela confusão para trás. Entretanto, Maria, magoada por causa da traição, recusava a proposta do marido, preferindo morar na casa de seus pais.
 
Com o orgulho ferido por causa do desprezo da mulher, Bil, passou a arquitetar a morte de Maria. Sabendo que Maria levava a comida dos trabalhadores da roça do seu pai, Bil, resolveu surpreende-la, numa emboscada na beira da estrada. E assim o fez. Em 11 de março de 1926, por voltas das 10 horas da manhã, quando Maria se dirigia com duas companheiras a caminho da roça do pai, levando a comida dos trabalhadores, Bil apareceu de repente, armado de faca. As companheiras de Maria fugiram e Bil, então, passou a esfaquear a esposa até a morte. Foram três golpes fatais. Para não ser encontrado depois do crime, segundo contam, o assassino teria comido parte da panturrilha da vítima, numa espécie de pacto com o além. Bil fugiu e nunca mais foi encontrado.
 
Maria foi enterrada no Cemitério da Saudade em Várzea Alegre, mas ninguém sabe informar qual é o seu túmulo. Também não se sabe se o crime foi investigado pela polícia. O certo é que esse crime revoltou toda a Várzea Alegre, causando grande comoção. As pessoas passaram, então, a visitar o local do crime e a rezar pela alma de Maria de Bil. O seu pai, Clementino, pôs uma cruz no local exato em que sua filha foi assassinada. As pessoas passaram a visitar o local para pagar promessas e agradecer graças alcançadas, segundo elas, com a intercessão de Maria de Bil. Com o passar do tempo, o médium e curandeiro, Emídio da Charneca, levantou no local uma barraca coberta de telha. Em 1954, Dona Ana de Zé Joaquim, do sítio Unha de Gato, que costumava trafegar por ali, colocou um quadro com a imagem de Nossa Senhora de Fátima na barraca. O quadro foi quebrado pelo gado e os moradores resolveram construir uma capela.
 
No dia 20 de janeiro de 1957, 31 anos após a morte de Maria, foi construída a capela no local do crime, à época, terras pertencentes a Inacinho (Velho) e que hoje são de João de Zé Bastião (do leite). Quem mandou construir a capela foi José Alves de Oliveira (Zé Pretinho) e colocou a imagem de Nossa Senhora no altar. Os pedreiros eram Expedito Beca e Geraldo Miguel. O altar e o reboco foram feitos por Antonio de João de Zé Joaquim, curiosamente, conhecido por Antonio de Maria. O vigário da época era Padre José Otávio, o mesmo benzeu a capela, celebrou uma missa na intenção da falecida e fez o batizado de Antonio de Chiquinho, do sítio Unha de Gato. As pessoas contam que algumas crianças foram enterradas no local da capela e que muitos estudantes “se pegam” com Maria para passar de ano, o que explica a quantidade de provas encontradas na capela como ex-votos. Muitos políticos já subiram a serra pagando promessa pela vitória conquistada.
 
São incontáveis os números de doentes que vão até a capela agradecer a cura conseguida, segundo eles, através da intercessão de Maria. Porém, quem mais visita a capela são as mulheres sofredoras que vêem em Maria uma protetora das aflitas e desesperadas. Outras Versões: O sumiço do autor do crime fez nascer outras histórias. Alguns acreditam que Bil teria sido amaldiçoado, passando a “virar um bicho” que assustava as pessoas com choro no meio do mato.
 
Outros dizem que, para ele “virar lobisomem”, teria que engolir sete homens, daí o pavor dos trabalhadores, que temiam vir a ser “um dos sete” que Bil poderia chegar a engolir. As moças tinham medo de passar por perto das moitas e serem agarradas por Bil. As crianças não saíam de casa durante a noite porque “Bil-Lobisomem” pegava. Ainda hoje tem gente que teme a alma perversa e negra de Bil. Dizem que é um vulto negro que aparece na serra com gemidos arrepiantes.
PESQUISA GOOGLE


Grande Emoção



O Cristo Redentor de braços abertos me cobre com SUAS Graças ao longo do Corcovado da Cidade Maravilhosa. Mesmo sem alcançá-LO, meu físico recebeu todas as bênçaos e fiquei lá no alto do morro.

TEXTO SENSACIONAL!!!



Casa arrumada é assim: Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.

Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não centro cirúrgico, um cenário de novela. Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas... Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida...
 
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar. Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha. Sofá sem mancha? Tapete sem fio puxado? Mesa sem marca de copo? Tá na cara que é casa sem festa. E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.

Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde. Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...

Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda. A que está sempre pronta pros amigos, filhos... Netos, pros vizinhos... E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.

Arrume a casa todos os dias... Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo para viver nela... E reconhecer nela o seu lugar.

Texto "CASA ARRUMADA" [Carlos Drummond de Andrade]

28 de março de 2014

Lua de São Jorge




É a Lua de São Jorge
Que lá do alto me olha
E aquilo que de mim foge
São lágrimas que o meu rosto molha
Se a Lua é dos poetas
Por isso tá dividida
Minha parte tá incompleta
A que brilha é a de Fridda
Apesar de tão distante
Tem brilho tão elegante
Assim como brilha a vida
Vida no abraçar do amigo
No triste olhar do mendigo
Na chegada e na partida


Fridda, um soneto para quem gosta da Lua em suas 4 fases.
LUIZ LISBOA

MARCHA DOS MARINHEIROS - DILERMANO REIS

 
 
 

27 de março de 2014

ORAÇÃO AO DESPERTAR

 
 
 














MÃE - MARTHA MEDEIROS



MÃE! (por Martha Medeiros)

MÃE É MÃE: mentira !!!
Mãe foi mãe, mas já faz um tempão!
Agora mãe é um monte de coisas: é atleta, atriz, é superstar.
Mãe agora é pediatra, psicóloga, motorista.
Também é cozinheira e lavadeira.
Pode ser política, até ditadora, não tem outro jeito.
Mãe às vezes também é pai.
Sustenta a casa, toma conta de tudo, está jogando um bolão.
Mãe pode ser irmã: empresta roupa, vai a shows de rock pra desespero de algumas filhas, entra na briga por um namorado.
Mãe é avó (oba, esse é o meu departamento!): moderníssima, antenadíssima, não fica mais em cadeira de balanço, se quiser também namora, trabalha, adora dançar.
Mãe pode ser destaque de escola de samba, guarda de trânsito, campeã de aeróbica, mergulhadora.
Só não é santa, a não ser que você acredite em milagres.
Mãe já foi mãe, agora é mãe também.
MÃE É UMA SÓ: mentira !!!
Sabe por quê?
Claro que sabe!
Toda criança tem uma avó que participa, dá colo, está lá quando é preciso.
De certa forma, tem duas mães.
Tem aquela moça, a babá, que mima, brinca, cuida.
Uma mãe de reserva, que fica no banco, mas tem seus dias de titular.
E outras mulheres que prestam uma ajuda valiosa.
Uma médica que salva uma vida, uma fisioterapeuta que corrige uma deficiência, uma advogada que liberta um inocente, todas são um pouco mães.
Até a maga do feminismo, Camille Paglia, que só conheceu instinto maternal por fotografia, admitiu uma vez que lecionar não deixa de ser uma forma de exercer a maternidade.
O certo então, seria dizer: mãe, todos têm pelo menos uma.
SER MÃE È PADECER NO PARAÍSO: mentira!
Que paraíso, cara-pálida?
Paraíso é o Taiti, paraíso é a Grécia, é Bora-Bora, onde crianças não entram.
Cara,estamos falando da vida real, que é ótima muitas vezes, e aborrecida outras tantas, vamos combinar.
Quanto a padecer, é bobagem.
Tem coisas muito piores do que acordar de madrugada no inverno pra amamentar o bebê, trocar a fralda e fazer arrotar.
Por exemplo?
Ficar de madrugada esperando o filho ou filha adolescente voltar da festa na casa de um amigo que você nunca ouviu falar, num sítio que você não tem a mínima idéia de onde fica.
Aí a barra é pesada, pode crer...
MATERNIDADE È A MISSÂO DE TODA MULHER: mentira !!!
Maternidade não é serviço militar obrigatório!
Deus nos deu um útero mas o diabo nos deu poder de escolha.
Como já disse o Vinicius: filhos, melhor não tê-los, mas se não tê-los,como sabê-los?
Vinicius era homem e tinha as mesmas dúvidas.
Não tê-los não é o problema, o problema é descartar essa experiência.
Como eu preferi não deixar nada pendente pra a próxima encarnação, vivi e estou vivendo tudo o que eu acho que vale a pena nesta vida mesmo, que é pequena mas tem bastante espaço.
Mas acredito piamente que uma mulher pode perfeitamente ser feliz sem filhos, assim como uma mãe padrão, dessas que têm umas seis crianças na barra da saia, pode ser feliz sem nunca ter conhecido Paris, sem nunca ter mergulhado no Caribe, sem nunca ter lido um poema de Fernando Pessoa.
É difícil, mas acontece.
MAMÃE, EU QUERO: verdade!
Você pode não querer ser uma, mas não conheço ninguém que não queira a sua.
Martha Medeiros
...........................................................................................................

Identifiquei-me com esse texto da Martha Medeiros: acho que sou uma mãe professora pois ensinar não deixa de ser uma forma de exercer a maternidade mas acima de tudo sou mãe irmã: aquela que acompanha 24 horas, que cuida, que dá carinho. Minha filha irmã não me dá trabalho. Jamais precisei ficar de madrugada esperando que ela volte da festa na casa de um amigo que nunca ouvi falar, num sítio que não tenho a mínima idéia de onde fica.Ao contrário, ela vai comigo aos eventos sempre. Cuida de mim também. Só sai se for comigo e por pura opção. Ela tem mais 5 irmãos mas SEMPRE prefere ficar comigo. E eu gosto de estar pertinho dela também, fico mais tranquila, nos adoramos. Aliás, os amigos dizem que estamos sempre coladinhas. E ela tem poder de decisão, talvez mais forte que eu. A última palavra aqui em casa, é a minha: " TÁ BOM, ZEZÊ!
Fafá Bitu



 

26 de março de 2014

Ao Padrinho Pedro Piau

 
Padim Pedro, essa foto montagem lembra uma data muito especial quando nos encontramos na IGREJA DA SAGRADA FAMÍLIA para comemorar seus 90 anos. Esse dia ficou gravado  na minha memória. Foram momentos em que celebramos em família um encontro selado por uma profunda amizade.

Sinto-me  felizarda em ter sido conduzida à pia batismal por tão simpático, inteligente e abnegado ser humano e minha bondosa madrinha Iraci. Obrigada, meu padim!Obrigada pela amizade a minha família...pela atenção a mim dedicada, por trilhar nossos caminhos.

Infelizmente, não posso mais usufruir da sua presença física mas com certeza está agora rodeado de seus entes queridos: Madrinha Iraci(sua primeira esposa), Joãozinho, meus pais que eram também padrinhos de seu filho Serginho da minha idade. Nossas famílias sempre se deram muito bem, morávamos pertinho e até hoje procuramos manter esse forte laço de amizade.

Hoje está fazendo dois anos de sua partida para a casa do PAI CELESTIAL.Saudades eternas de sua afilhada,

Antônia Alves Bitu ( Zezê)

25 de março de 2014

Saudade...presença dos ausentes

 
 
Adoro meu mundinho cheio de imagens, palavras soltas, surpresas. De vez em quando surge uma tempestade mas na maioria das vezes tem céu azul. No interior desse mundinho bem Fátima Bitu cabe sonhos de todos os tamanhos mas não cabe muita gente porque não é qualquer pessoa que consegue entender minha maneira de escrever mas com certeza as poucas pessoas que estão dentro dele não estão por acaso e ficarão porque são necessárias e enquanto souberem  aceitar minha maneira de ser e agir  vão ficar por aqui.
 
 

24 de março de 2014

Assim disse o poeta - por Luiz Lisboa

Assim disse o poeta
 A saudade lateja
 E não vem incompleta
 Ela vem de bandeja
 Nos sonhos ,olhar e sorriso
 Jardim,flores e Paraíso
Vem outro e diz
 A saudade arde
 E quando ela parte
 Ninguém é feliz.

Luiz Lisboa, Morrendo de sardade,dum aqui,dum ali dum acolá...

23 de março de 2014

COMO DEUS ESCOLHE AS MÃES DAS CRIANÇAS ESPECIAIS



"Você alguma vez já pensou como Deus escolhe as mães das crianças especiais? Eu já...
Uma vez visualizei Deus pairando sobre a Terra, selecionando seu instrumento de propagação com um grande carinho, e compassivamente.
Enquanto observava, Ele instruía seus Anjos a tomarem nota em um grande livro:
- Para Beth, um menino. Anjo da Guarda, Matheus.
- Para Miriam, uma menina. Anjo da Guarda, Cecília.
- Para Regina, gêmeos. Anjo da Guarda Geraldo, ele já está acostumado.
Finalmente, Ele passa um nome para o Anjo, sorri e diz: dê a ela uma criança deficiente.
O Anjo, cheio de curiosidade, pergunta: porque ela, Senhor? Ela é tão alegre!
- Exatamente por isso, diz Ele. Como eu poderia dar uma criança a uma mãe que não sabe o valor de um sorriso? Seria cruel...
- Mas será que ela vai ter paciência?
- Eu não quero que ela tenha muita paciência - disse Deus - porque aí ela se afogará no mar da autopiedade e desespero. Logo que o choque e o ressentimento passarem, ela saberá como conduzir-se. Eu a estava observando hoje. Ela tem aquele forte sentimento de independência.
Retrucou o Anjo: - Ela terá que ensinar a criança a viver no seu mundo e não será fácil. Além do mais, Senhor, acho que ela nem acredita na Sua existência.
Deus sorri, e diz: - Não tem importância. Eu posso dar um jeito nisso. Ela é perfeita. Possui o egoísmo no ponto certo.
O Anjo engasgou. - Egoísmo? E isso é, por acaso, virtude?
Deus acenou que sim e acrescentou:
- Se ela não conseguir se separar da criança de vez em quando, ela não sobreviverá. Sim, esta é uma mulher que abençoarei com uma criança menos perfeita. Ela ainda não faz idéia, mas ela será, também, muito invejada. Sabe, ela nunca irá admitir uma palavra não dita, nunca considerará um passo como uma coisa comum. Quando sua criança falar “mamãe” pela primeira vez, ela pressentirá que está presenciando um milagre. Quando ela descrever uma árvore com um pôr-do-sol para seu filho cego, ela verá como poucos já conseguiram ver a minha obra... eu permitirei ver claramente coisas como ignorância, crueldade, preconceito e a ajudarei superar tudo. Eu estarei a seu lado a cada minuto de sua vida, porque ela estará trabalhando junto comigo.
- Bom - disse o Anjo - e quem o Senhor está pensando mandar como Anjo da Guarda?
Deus sorriu;
- Dê a ela um espelho. É o suficiente."

(Autor desconhecido)

Bom Domingo!






Não espere que o outro cuide do seu sorriso, nem do seu coração... porque esta responsabilidade é sua.  Proteja-se da maldade humana, se esquive de questões que só lhe causarão raiva, ira, tristeza e se permita viver de um jeito diferente. Há mudanças dentro da gente como borboletas no casulo , brigando pra se libertarem, portanto acorde todos os dias almejando o novo e aguardando o inesperado de Deus sem medo , porque na verdade o dia já nos foi entregue, a chave do nosso sentir ja está em nossas mãos e o compromisso que temos não é com a vida alheia, na verdade é com o nosso coração....se ele estiver bem , conseguiremos fazer bem a alguém.
Cecília Sfalsin
 
 
 

22 de março de 2014

Sou do tamanho do que me convém...






Keila Sacavemem

 Sou do tamanho do que me convém...

Se me convém permanecer em silêncio, eu ignoro!
 Se me convém falar "na lata", eu "solto o verbo"!
 Se me convém esquecer, eu queimo croquis!
 Se me convém perdoar, eu abro os braços!
 Se me convém ajudar, eu me faço ponte!
 Se me convém o sarcasmo, eu afio minha língua!
 Se me convém contrariar, eu sinto razão!
 Se me convém seguir um conselho, eu ramifico humildade!

A única pessoa capaz de saber o que realmente me convém, SOU EU!









21 de março de 2014

LE DON DU SOURIRE



O DOM DO SORRISO

Se algumas vezes você encontrar uma pessoa que não sabe mais sorrir, seja generoso, dê-lhe o seu sorriso pois ninguém tem tanta necessidade de um sorriso quanto aquele que não consegue dar o seu sorriso aos outros.

Seja você mesma.


Seja única.
Seja verdadeira.
Seja livre.
Seja você mesma.
Porque a vida é curta demais para ser alguém que você não é.

O DOM DE SORRIR





Se algumas vezes você encontrar uma pessoa que não sabe mais sorrir, seja generoso, dê-lhe o seu sorriso pois ninguém tem tanta necessidade de um sorriso quanto aquele que não consegue dar o seu sorriso aos outros.














20 de março de 2014

Posso imaginar a garra daquela menina - REPRISE





Posso imaginar a garra daquela menina que ainda chegou a caminhar toda faceira  de perninha grossa como dizia sua mãe  mas logo aos dois anos contraiu poliomielite e parou de caminhar. Desde então ficou dependente dos pais e irmãos. Decidiu estudar na escola mais próxima de sua casa: o EDUCANDÁRIO SANTA INÊS onde aprendeu as primeiras lições com DONA ELIZA GOMES CORREIA, a professora que lhe incentivou a lutar. Teve também grandes incentivadores: seus colegas de classe. Quando  precisou mudar para o Ginásio São Raimundo ficou tudo mais difícil porque  dependia de alguém para lhe levar. Foi então que seu irmão Luiz Bitu virou seu motorista de bicicleta, ela se acostumou a curtir seus gostos, daí seu jeito irreverente de ser até hoje. Mais tarde ele terminou o ginasial e precisava estudar fora mas  ainda fez mais: nas férias lhe ensinou a andar de bicicleta o que a salvou de uma atrofia maior. Pedalou demais e nessas pedaladas sempre andava acompanhada de colegas solidários que temiam que a garota não pudesse enfrentar a ladeira até chegar ao ginásio que nessa época já era na famosa PRAÇA SANTO ANTÔNIO. Foi uma dessas meninas que praticamente não teve infância mas não se permitiu ser uma criança-problema.Esperava ansiosa a chegada  dos folhetos da época, conseguia sintonizar com muita dificuldade a RÁDIO SOCIEDADE DA BAHIA e nesse tempo já tinha preferência musical. Ouvia Françoise Hardy cantando TOUS LES GARÇONS ET LES FILLES DE MON ÂGE mesmo não sabendo o que ela estava dizendo mas a melodia lhe tocava profundamente, só muito mais tarde ela foi entender a razão. Suas grandes paixões sempre foram a música e a leitura. Teve colegas da pesada em todas as turmas e era difícil na época acompanhar o ritmo deles mas ela aprontava mesmo que fosse uma teimosia que não participasse ativamente mas os professores sabiam que era ela a autora intelectual. O que mais  curtia na época era a coragem de descer a ladeira na sua famosa monareta rodeada dos amigos cantando: " Pedalando contra o vento sem lenço, sem documento". A garota relembra  tudo isso com tanto carinho.















 

19 de março de 2014

45 Lições

Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, que assina uma coluna no The Plain Dealer, Cleveland, Ohio
“Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi.”
Meu hodômetro passou dos 90 em agosto, portanto aqui vai a coluna mais uma vez:
1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno.
3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..
26. Enquadre todos os assim chamados “desastres” com estas palavras ‘Em cinco anos, isto importará?’
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo..
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
36. Envelhecer ganha da alternativa — morrer jovem.
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor ainda está por vir.
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
44. Produza!
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.

17 de março de 2014

Obrigado Maria - Por Luiz Lisboa.





Obrigado Maria - Por Luiz Lisboa.

Dificil saber a hora
Mas ao romper da aurora
Já chegando a luz do dia
É quando o Bil se levanta
E com um nó na garganta
Vai gritando Maria

Mulher tu faz um esforço
E vai levar meu almoço
Antes que dê meio dia
Feito um pássaro sem asa
Sai cedo de casa
Sabendo que jamais voltaria

Levando em sua mente
O sonho mais inocente
Ter quem ele mais queria
Todo momento olha a hora
Tem que ser agora
Vou encontrar com Maria

Maria de longe ver o BIl
Mesmo cansada sorria
Seu fim ela não previa
Era aquele o momento
De dor e de sofrimento
Sua ultima agonia

Maria desmaiando de dor
A faca do seu amor
Mais uma vez lhe feria
O sangue ficou na terra
Uma cruz lá na serra
O local indicaria

Agora uma ermida
Que de longe nos convida
E que nos dá alegria
Em louvores o povo canta
Os seus poderes de santa
Quanto nos dá alegria

Agora confesso um segredo
Venho pedir pelo dedo
Que o meu irmão quase perdia
E venho agradecer
Não sei rezar,só sei dizer
MUITO OBRIGADO, MARIA.

Luiz Lisboa

Nosso carinho varzealegrense




Várzea -Alegre tem o melhor carnaval
 Tem a quaresma de oração
 De São Raimundo a proteção
 Não tem um santo rival
Veja a festa de Nossa Senhora
 Em todo lugar você ora
Tem festa de agosto e Natal
 O visitante turista reconhece
 Que quem vem aqui merece
 O nosso Carinho e nosso sal.

Luiz Lisboa, Várzea-Alegre acolhedora,cidade de crédito.

16 de março de 2014

A gente deseja nesse domingo




A força de Sansão
A alegria de Mirian ao atravessar o rio Vermelho
A ousadia de Davi ao dançar para o senhor....a unção de Eliseu
A perseverança de José no Egito
A sabedoria de Salomão...
a prosperidade de Jó
a coragem de Josué....a fé de Abraão
a paz e o amor de Jesus Cristo
que excede todo entendimento
para que você possa entender
com seu coração os propósitos de Deus
Não esqueça.... Deus pode realizar grandes maravilhas em sua vida.
Deus te abençoe!






 

15 de março de 2014

A MÚSICA DE ZEZÊ PARA FAFÁ

 
O mais difícil de minha viagem à FRANÇA foi me separar de Zezê. Claro que ninguém comentou comigo durante o tempo que estive ausente mas na chegada à Fortaleza a família toda comentou que ela escutava essa música todo dia e quando cheguei me contou. Faço questão de deixar registrado aqui no blog esse momento inesquecível.
 
 
 
REALMENTE SOMOS MUITO LIGADAS  UMA À OUTRA.
 
 
 
 
 

Simplesmente Fafá

 
 
 
 
Quem me conhece bem...sabe que  sou mãe não biológica e com muito orgulho, sou dona de casa, profissional e mesmo tendo sido  muito mais que isso, consigo ser única em cada coisa que faço.
 
Bem à minha maneira, tento ser firme, decidida, compenetrada, forte e ao mesmo tempo delicada. Luto pela igualdade, pelos meus direitos, pela independência que não é fácil. E mesmo com toda essa luta, ainda  sou muito cobrada.
 
Tento chegar cada dia mais longe porque não me incomodo  de ouvir o outro, seja para tomar uma mínima informação e para me atualizar.tento  mostrar que beleza, competência e força não são palavras femininas por acaso.
 

A natureza me deu esse  rosto  aos 20. A vida talhou  aos 30.
 e pretendo mantê-lo sereno assim agora aos 60. 

14 de março de 2014

Homenagem ao Poeta no Dia Nacional da Poesia - 14 de Março

Sabatina.

Pergunto se vc sabe
Das coisas do cariri
Pra inicio de conversa
Quero saber não tenho pressa
Sabes o que é piqui?

Um penitente,um andor
Um machado, um cavador
Uma roçadeira e uma moita de calumbir?

Um baláio uma rabichola
Um alfore uma sacola
Um calango largatixa
ou um quatir?

Um toco de mororó
Uma arupemba de cipó
O saburar do jatí?

Raspadura tapioca
Um forno de assar beijú
Um jatobá um tamarino
E um fruto de mandacaru?

Sabes o que é cambão
Foice,quicer e lamparina
Oticica marmeleiro
Jurema e tangerina?

Sabes o que é ser fiota
Um contador de lorota
Que quase não sabe o que diz?

Conhece o que é gamela
Sabes o que é tramela
Uma nambú uma cordoniz?

Sabes o que é uma cuia de cabaça
Uma chiminé soltando fumaça
Uma cuscuzeira no fogão?

Sabes o que é serca de arame
Um inchú um capuchú
Numa moita um inchame?

Catar Algodão con o lensol de dormí
O uruvai antes do sol sair
Sedo pisar na lama?

Ao meio dia com sede
A noite dormir na redde
Esteira de palha servi de cama?

Do lado de jirau
Uma bengala de pau
Umas roletas de cana?

Uma queima de tijolos
A goma pra fazer bolos
Uma apragata avaiana?

O que é um testo de panela
Um pirão de costela
E uma cesta de castanha?

E o belo pilão
Um balde de cacimbão
Um jogo de caçuá?

Um piriquito
Caiga de lenha em cambito
Uma arapuca e o fojo de pegar preá?

Sabes o que é um guarda copo
Um pote na furquia de três ganchos
Uma casa de taipa um rancho
Um quebra custela pra jumento não passar?

Já passou num passadiço
Aprontou um reboliço
Bateu com mão de pilão?

Bebeu água na coité
Ou na catemba de coco
Titou maribondo caboco
Usando apenas a mão

Sabes o que é um arataca
Bezerro apoja na vaca
E um vaqueiro aboiá?

Quixó de pegar tatu
Barroca de cururu
Furmiguiro e tamaduá?

Balcão de plantar cuento
Um bichinho fedoreno
Que tem nome de gambá?

SE tu sabes tudo isso
Já rezou pro pade ciiço
Não é um cabra mofino
Tá na cara podes crer
Que um moço quinem vc
Só pode ser nordestino
E pra mode completar
Das quebradas do Ceará
Tu veio embora quando menino.
Ilmorais


O blog sou de varzea alegre escolheu  SABATINA  do poeta LUIZ LISBOA  para representar aqui hoje todos os nordestinos no DIA NACIONAL DA POESIA. Parabéns!

Uma gardênia amarela



Tem gente que fala de arte
Que vai à Marte
Pra falar de amor
Para amar-te
Vou apenas a  uma parte
De um jardim colher flor
Trago a rosa mais bela
Uma gardênia amarela
Que tem cheiro e sabor
Sabor que só a alma conspira
O corpo todo delira
Se contorcendo de dor
Dor que só quem sente é o Luiz
Este velho menino feliz
Que não tem cheiro nem sabor.

Fafá, grande abraço,
Luiz Lisboa


Não sou como o Cometa Halley que visita a Terra só a cada 75 ou 76 anos, visito seu blog sempre, só que sem deixar rastro.Hoje deixo.... se não gostar tem todo direito de deletar.

 










 

.

13 de março de 2014

Vulto Varzealegrense - por Luiz Lisboa

 




Menina que foi miss mirim
Que era boa nos estudos
Por ela ter feito tudo
Hoje tem o seu jardim
Deixou sua bicicleta
Um legado pra poeta
Um história que é uma beleza
Foi parar em Fortaleza
Depois passou em Paris
De lá voltou mais feliz
Com um sonho realizado
O novo idioma dominado
Para fazer traduções
Mas em suas emoções
Faltava a miss senhorita
Aquela que o povo acredita
Conduta,atuação e comportamento
É feliz não tem lamento
Se tem outra você pense
Fafá tem poder absoluto
Essa daí até foi vulto
Da MIS Varzealegrense.
Luiz Lisboa.






Poema da Amiga Aprendiz


12 de março de 2014

Era uma vez uma monareta



 Era uma vez uma monareta
 Que conduzira alguém a escola
 Com a ajuda de nobres colegas
 Mesmo jogando fora a sacola
 Chegando a sala de aula
Até mesmo fora de hora.

A monareta era usada
Sem reclamar seu ofício
De transportar sua dona

E sem achar tão difícil
Sendo de grande utilidade
Dotada de prazeres mil!

Hoje a menina mulher
Recorda com saudades
E até faz agradecimento
Por nunca faltar lealdade
Da monareta e amigas
Nunca faltando amizade.

Pra capital se transferiu
Deixando sua estimada amiga
E com coragem enfrentou
Umas tantas cirúrgias
Voltando a sua normalidade
E da monareta não mais precisaria.

Pra faculdade caminhara
Sem a linda monareta usar
Já que a Virgem de Fátima
Que ela pediu pra lhe curar
Atendeu o seu pedido
Voltando pois a caminhar.

E pra França se mandou
Para a Língua aprimorar

Chegando falando francês
E a sala de aula a enfrentar

Fazendo grandes amizades
Até um dia se aposentar.

O que escrevo em versos
Vão além da amizade
Expressando sentimentos

Com toda uma lealdade
Sem usar literatura
Nem temer a gravidade!

Obrigada, cara amiga
Por entender meu recado
Lendo e relendo esses versos
Sem termos bem recatados
Se resumindo em carinho
De tudo que está falado.
Fideralina, 18/09/2011

............................................................................................................

Achei impressionante essa poesia da Fridda que narrou os fatos a sua maneira. Bom, deixo claro que jamais esquecerei da monareta que com certeza foi guardada para que eu não visse mais quando voltasse à Várzea Alegre. Foi graças a ela e  ao aparelho ortopedico que usei depois da cirurgia que hoje posso caminhar sozinha  sem tabto medo de cair. Estou aqui relembrando tudo isso  com muito carinho.
Fafá Bitu


Uma cascata de felicidade para Zezê

 
 
Se a vida é arte e se a arte é beleza, há muita beleza e arte na paz do seu sorriso.
 
Então, continue sorrindo sempre, Zezê, para enfeitar ainda mais esse seu sorriso angelical.
 
Que sua vida seja uma cascata de felicidade!
 
 
 

11 de março de 2014

As Minhas Meninas



 
Ouvindo essa pérola do CHICO BUARQUE lembrei da maneira protetora, cuidadosa de papai em relação as suas duas filhas mais novas.
Isso ficou gravado na memória dos filhos mais velhos que sempre até hoje se referem a gente assim também.
Temos orgulho disso mas o tempo cuidou de nos tornar adultas, decididas, independentes do cuidado, às vezes exagerado de todos.
Essas 2 meninas foram pouco a pouco aprendendo a viver sozinhas, cuidando de suas vidas sempre juntas e são felizes no mundo bem delas, levando destinos diferentes dos outros que casaram, tem filhos e até netos.
Suas  meninas, papai, continuarão sendo suas para sempre.
Fafá hoje tem 60 anos e Zezê 59 mas nunca deixarão de ser as meninas de SEU ZÉ BITU.


Olha as minhas meninas

As minhas meninas
Pra onde é que elas vão
Se já saem sozinhas
As notas da minha canção
Vão as minhas meninas
Levando destinos
Tão iluminados de sim
Passam por mim
E embaraçam as linhas

Da minha mão
As meninas são minhas Só minhas
Na minha ilusão
Na canção cristalina
Da mina da imaginação
Pode o tempo marcar seus caminhos
Nas faces com as linhas
Das noites de não
E a solidão maltratar as meninas

As minhas não
As meninas são minhas
Só minhas
As minhas meninas
Do meu coração

Link: http://www.vagalume.com.br/chico-buarque/as-minhas-meninas.html#ixzz2Mhq5eTut



 





 

10 de março de 2014

Cartas de Amor




Cartas de Amor (love Letters)
 
Roberto Carlos

Ontem amor eu reli
As cartas que te escrevi
Frases repletas de
Amor
Que por você eu senti, sofri
Ontem amor, revivi
Lembranças do nosso amor
Nas velhas frases que meu coração
Ditou
Naquelas cartas de amor
Ontem amor, revivi







Chuva Fina




Minha irmã Cleide esteve em Várzea Alegre agora no carnaval e me trouxe essa sombrinha de presente. Achei muito significativo e registrei de dentro de casa uma boa neblina. 
 
Evito sair  na chuva porque tenho medo de escorregar e quebrar minha valiosa perna que me dá condições de caminhar bem desde os 18 anos.





8 de março de 2014

Flores para Zezê



São dois balaios de flores
Cada um com seu perfume
Se alguém sentir ciúme
Que fique com suas dores
E não reclame das cores
O vermelho ou amarelo
Enfim, o jardim só é belo
Se tiver ornamentado
Com flores por todo lado
Abrilhantando o castelo.

Luiz Lisboa




Feliz Aniversário, ZEZÊ!



Quem tem uma irmã como ZEZÊ jamais está sozinha. Digo e comprovo: ela me acompanha 24 horas aconteça o que acontecer. Não sei se estarei on-line amanhã porque estarei comemorando o aniversário dessa figura ímpar na minha vida. É por isso que estou me antecipando. Farei o possível para que ela se sinta mais feliz do que já é.


Vamos
ao paraíso onde passamos sempre momentos agradáveis e com certeza reuniremos as pessoas que ela mais ama.


Feliz Aniversário, Zezê!
 
 
 
 
Obrigada por estar sempre do meu lado.
Fafá
*****************************************************

Hoje é o dia "D"
Se é dia de Fafá
É o dia de ZZ
Fafá é a flor de Lis
Ela conhece o Luiz
ZZ deve conhecer
Parabéns, felicidades
Muitas flores pra você
Crisântemos, temos
Também gardênia
Branca ,amarela e luz
Nas flores vejo a beleza
Um jardim em Fortaleza
Que uma irmã conduz
E uma cuida da outra...
A outra cuida de uma
Vivendo em liberdade
Na maior felicidade
São duas,ou somente uma.

Parabéns para  ZZ!
Luizinho do sanharol,
9 de março de 2014








 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Anunciando o aniversário de Zezê

 
 
 
Quem tem uma irmã como ZEZÊ jamais está sozinha. Digo e comprovo: ela me acompanha 24 horas aconteça o que acontecer. Não sei se estarei on-line amanhã porque estarei comemorando o aniversário dessa figura ímpar na minha vida. É por isso que estou me antecipando. Farei o possível para que ela se sinta mais feliz do que já é.
 
Vamos ao paraíso onde passamos sempre momentos agradáveis e com certeza reuniremos as pessoas que ela mais ama.
 
Feliz Aniversário, Zezê! 
 
Fique certa que estarei do seu lado em todos os momentos de nossa vida porque não consigo viver longe de você. Muitas felicidades hoje e sempre.
Fafá
 
 
 
 










A TODAS AS MULHERES

 
 
A TODAS AS MULHERES

 Que driblam a vida para entregar o melhor de si em tudo que fazem...
 Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
 Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
 Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas!
 E, entre uma coisa e outra, leio livros.
 Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
 Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
 Primeiro: a dizer NÃO.
 Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
 Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
 Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
 Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
 Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher. E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.
 É ter tempo.
 Tempo para fazer nada.
 Tempo para fazer tudo.
 Tempo para dançar sozinha na sala.
 Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
 Tempo para sumir dois dias com seu amor. Três dias. Cinco dias!
 Tempo para uma massagem.
 Tempo para ver a novela.
 Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
 Tempo para fazer um trabalho voluntário.
 Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
 Tempo para conhecer outras pessoas.
 Voltar a estudar.
 Para engravidar.
 Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
 Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
 Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
 Existir, a que será que se destina?
 Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
 A mulher moderna anda muito antiga.
 Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
 Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
 Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
 Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
 Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
 Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
 Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
 Desacelerar tem um custo.
 Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
 Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
 E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante.

Por Martha Medeiros - jornalista e escritora, é colunista do jornal Zero Hora (Porto Alegre/RS) e de O Globo (Rio de Janeiro/RJ).

7 de março de 2014

Gosto de ser sessentona.

 
 
 
 
Não troco minha vida de hoje pela de 10 anos atrás sinto que sou mais amável comigo mesma e não me faço cobrança como antigamente. Cada dia entendo que meu maior amigo sou eu mesma. A gente se dá tão bem.
 
Aos 60 anos sinto-me mais amável comigo mesma, somos muito amigas.


Sou muito  censurada por não ir ao carnaval, já fiz isso algumas vezes e me arrependi...prefiro ficar em casa, ler meus livros, ouvir música ou até mesmo nem fazer a minha cama.Tenho direito de ser desarrumada,  extravagante e livre.

Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o passar do tempo.Quem vai me censurar se resolvo ficar em casa lendo ou curtindo a net até tarde se posso dormir até meio-dia?  Fico ligada no som daqueles sucessos maravilhosos dos anos 60 &70, e se fico sensibilizada,  posso até  chorar por um amor perdido ...  choro e daí?
 
Adoro ficar à vontade em casa, e mergulhar nas ondas do abandono.

Sei que às vezes esqueço algumas coisas. Mas há muita coisa nessa vida que merece ser esquecida. Eu me recordo das coisas importantes. Há certas coisas que nem valem a pena ser lembradas.

Claro, ao longo dos anos meu coração foi quebrado.  Como não  quebrar seu coração quando você perde um ente querido, ou quando uma criança sofre, ou mesmo quando algum amado animal de estimação é atropelado por um carro?  Mas corações partidos são os que nos dão força, compreensão e compaixão.  Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser imperfeito.
 
Sou tão abençoada por ter vivido o suficiente para ter meus cabelos já ficando grisalhos, e ter os risos da juventude  gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto.

Muitos nunca riram, muitos morreram antes de seus cabelos virarem prata
.
Conforme você envelhece, é mais fácil ser positivo.  Você se preocupa menos com o que os outros pensam.  Eu não me questiono mais.

Ganhei o direito de estar errada.  Gosto de ser sessentona. A idade me libertou.   Gosto da pessoa que me tornei.  Não vou viver para sempre, mas enquanto  ainda estou aqui, não vou perder tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupar com o que será.
 
Não me sinto mais obrigada a ir aqueles fins de tarde, comemorar aniversários de colegas que não tinham nada a ver comigo. Quero mais é esquecer aquelas festas chatas que começavam mal e terminavam pior.  Voltava prá casa mais vazia.
 
 Estou bem assim e ainda respeitando a maneira de viver dos outros. Só peço uma coisa: não me cobrem participação em eventos que não suporto. Aquela garotinha que aceitava tudo para agradar aos outros...se foi. Confesso...sou bem mais  feliz agora.








 

.

5 de março de 2014

SEMPRE NO MEU CORAÇÃO


 










Por onde fores contigo irei, onde estiveres eu estarei e se um dia não mais puder te acompanhar em espírito contigo irei.

 




Deus não escolhe os capacitados
capacita os escolhidos.















4 de março de 2014

De volta pro aconchego



Muito bom voltar prá casa depois de uns dias diferentes. Faz bem a alma e ao coração principalmente quando se está com pessoas que nos acolhem de boa vontade. Valeu, minha irmã! Obrigada.



 
 
 
 
 
De volta pro aconchego