31 de outubro de 2012

EFEITOS DO BEPANTOL



                                                       BEPANTOL PARA BELEZA

Para muitas mulheres isso não é nenhuma novidade, mas agora para muitas serão dicas valiosas, e a pergunta vai ser: Funciona mesmo? a Resposta é SIM, funciona e existem pessoas que não abrem mão do Bepantol por nada!

Segue abaixo uma listinha de dicas de beleza usando o Bepantol:

BEPANTOL POMADA
- Excelente para lábios rachados. Passe à noite e seus lábios estarão recuperados de manhã
- Hidratar áreas que são mais ressecadas(cotovelos, joelhos e calcanhar)
- Hidratar e amolecer cutículas, antes de fazer as unhas
- Ótimo para auxiliar na cicatrização de machucados(e até aqueles “bifinhos” que a manicure as vezes tira sem querer)
- Auxilia na hidratação dos cabelos junto com o condicionador (Bepantol líquido, mais com a pomada também dá para fazer)
- Ajuda a acalmar as áreas depiladas(virilha, axila, bumbum, etc)
- Auxilia a fortalecer a raiz e os fios do cabelo, pois ele é regenerador
- Auxilia também para clarear áreas mais escuras(axila e virilha) pois, essa escuridez nessas áreas, geralmente acorre devido a falta de hidratação e como o bepantol tem o poder de hidratar, após alguns meses de uso, as áreas apresentam clareamento.
- Melhora a aparência das olheiras. Use a noite antes de dormir, pela manhã as olheiras estarão suavizadas.

BEPANTOL LÍQUIDO
-Ajuda a hidratar o cabelo, pois tem poder regenerador.
-Fortalece a raiz e os fios de cabelo.
-Melhora sintomas de inflamação do couro cabeludo.
-Diminui a coceira.
-Estimula a pigmentação (o que pode ser interessante para desacelerar o aparecimento de cabelos brancos)

RECEITA DE HIDRATAÇÃO BEPANTOL
- 5ml de Bepantol líquido
- 1 colheres de sopa de açúcar (mascavo ou cristal de preferência)
- 2 colheres de sopa de um creme de tratamento para seu tipo de cabelo

30 de outubro de 2012

Paris e suas 4 estações





fui indagada várias vezes sobre qual a melhor  estação para ir à  Paris.Difícil responder, embora eu pesquise muito, até faça verdadeiras viagens nas viagens de meus amigos. Posso falar tranquila da minha experiência. Viajei no verão mais exatamente  em julho quando os parisienses saem de férias. Como tem turista nessa época! Foi a única saída já que não posso enfrentar o frio. O que me chamou mais atenção ali nos primeiros dias foi a nostalgia, aquela coisa cinzenta, não há vento, os dias são mais longos. Só se faz noite às 22 horas Tudo muito bonito, muito cinza, muito chique, c´est PARIS!
Verão - junho, julho e agosto



                                     VERÃO - JUNHO, JULHO E AGOSTO

O outono é lindo...é uma estação em que a natureza mostra um especial esplendor, as árvores perdem suas folhas e enfeitam os gramados com tapetes confeccionados com várias nuances. É um cenário perfeito, que desperta sentimentos propícios para a poesia, para os apaixonados. São paisagens belíssimas que nos remete a algo divino. E talvez o céu seja assim mesmo. Esse vento que brinca com seus cabelos, e levam seus pensamentos como se fosse as folhas secas ao sabor do vento. Tudo é magia!




                                      OUTONO - SETEMBRO, OUTUBRO E NOVEMBRO



                                         INVERNO - DEZEMBRO, JANEIRO E FEVEREIRO

Antes de chegar a Paris muita gente teme  o frio. Mesmo sendo inverno é um ótimo lugar para ver a cidade sob outro ângulo e conseguir algumas fotografias incríveis. Para quem visita a cidade pela primeira vez diria até que é imperdível, já que dá uma dimensão melhor da beleza (de tirar o fôlego) da CIDADE-LUZ. É claro que há alguns inconvenientes. Pode chover (inacreditavelmente ninguém se move!). Os turistas resistem bravamente à intempérie. O frio é de rachar. Cachecóis, gorros e luvas (boas!) são essenciais.Outro contra é a quantidade reduzida de ônibus circulando. O problema é que entre o Natal e o Ano Novo a cidade fica absurdamente LOTADA, afinal quem não sonha  passar o Reveillon em Paris? E os ônibus estão sempre cheios, faça frio, neve ou chuva.






Ah, a primavera em Paris… Um momento mágico de felicidade generalizada cantado em prosa, verso e película. Os dias começam a ficar mais quentinhos e o sol se põe cada vez mais tarde. As folhas das árvores voltam a crescer e as flores desabrocham. Típica paisagem de cartão postal. Até as pessoas ficam mais simpáticas…pelo que pesquiso e ouço de quem viajou:
A primavera e o outono são as melhores estações para se visitar Paris.  O fim do verão e o outono são melancólicos pois sabe-se que acabou o que era doce e que vai se  enfrentar meses de frio, chuva e falta de luz.  As pessoas ficam até ranzinzas…O verão é tumultuado pelo número exagerado de turistas. Há quem diga que o parisiense tira férias nessa época para não enfrentar a cidade cheia.
PRIMAVERA - MARÇO, ABRIL E MAIO




29 de outubro de 2012

DIA NACIONAL DO LIVRO


Dia Nacional do Livro:

Você sabe por que comemoramos o dia Nacional do Livro no dia 29 de outubro? Por que foi nesse dia, em 1810, que a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil, quando então foi fundada a Biblioteca Nacional e esta data escolhida para o DIA NACIONAL DO LIVRO.

O Brasil passou a editar livros a partir de 1808 quando D.João VI fundou a Imprensa Régia e o primeiro livro editado foi "MARÍLIA DE DIRCEU", de Tomás Antônio Gonzaga.

Comemore também!
Comemore o dia do livro: lendo; presenteando com livro!!!!!!

28 de outubro de 2012

O Tamanho de Uma Pessoa


 O Tamanho de Uma Pessoa

Como se mede uma pessoa?
Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.
Ela é enorme para você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravada.
É pequena para você quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.
Uma pessoa é gigante para você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando se desvia do assunto.
Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês. Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, e sim de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão e, ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma...
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho...
Seja sensível... ame e compreenda o outro e fortaleça os laços de amizade!
(Martha Medeiros)
Enviado por Rosãngela Vieira

Ao Funcionário Público!

Parabéns a todos os servidores públicos e em especial aos que trabalham no CENTRO DE LÍNGUAS - IMPARH,. Trabalhei nessa entidade durante 25 anos e não poderia deixar passar essa data  em branco. O professor é também um funcionário a partir do momento que  interage com aquelas pessoas mágicas que contribuem para o bom andamento de nosso trabalho  e são tantos e tão queridos! Já estou afastada por tempo de serviço mas não esqueço da nossa convivência. Parabéns prezado colega! Você é acima de tudo um grande guerreiro.








27 de outubro de 2012

Dia Mundial de Oração Pela Paz


É preciso pensar um pouco nas pessoas que ainda vêm... nas crianças.
A gente tem que arrumar um jeito de deixar pra eles um lugar melhor.
Para os nossos filhos e para os filhos de nossos filhos.
Pense bem!

Deve haver um lugar dentro do seu coração
Onde a paz brilhe mais que uma lembrança
Sem a luz que ela traz já nem se consegue mais encontrar o caminho da esperança
Sinta, chega o tempo de enxugar o pranto dos homens
Se fazendo irmão e estendendo a mão

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a Terra inteira feliz

Se você for capaz de soltar a sua voz
Pelo ar, como prece de criança
Deve então começar outros vão te acompanhar
E cantar com harmonia e esperança

Deixe que esse canto lave o pranto do mundo
Pra trazer perdão e dividir o pão.

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a Terra inteira feliz

Quanta dor e sofrimento em volta a gente ainda tem,
pra manter a fé e o sonho dos que ainda vêm.
A lição pro futuro vem da alma e do coração,
pra buscar a paz, não olhar pra trás com amor.

Se você começar
outros vão te acompanhar
e cantar com harmonia e esperança
Deixe, que esse canto
lave o pranto do mundo
prá trazer perdão
e dividir o pão.


Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a Terra inteira feliz
( Roupa Nova)


SUBSERVIÊNCIA - por João Bitu



Para que haja união
Dentro do lar é preciso
 Que os dois tenham juízo
Amor e compreensão.
Não entrar em discussão,
Que nenhum seja severo
É assim que considero!
Para estar de bem com vida
Seja a mulher destemida
E o marido meio austero

Sempre adotar como lema
Combinar com a patroa
Fazer tudo numa boa
Sem haver nenhum problema
Sua ambição é extrema
Sua sentença é um “sim”
Ela dita tudo enfim!
Mas até discordando dela
Ainda diga p’ra ela
Também eu pensei assim.

Sempre deixar em evidência
Seu poder de decisão
Quando der uma opinião
Seja com força e tendência
Com coragem e coerência.
Para não ficar mau visto
E nem também mal quisto,
À Dona Encrenca consulte
Coisa nenhuma lhe oculte
E haverá paz por isto

 Consigo assim ninguém pode
Quando diz... está bem dito
Não admita conflito
Ninguém o leve em pagode
Quem não pode se sacode!
Em casa de homem ordeiro
Ela é que fala primeiro
Em segundo e para frente
Fala o homem finalmente
Para honrar o seu bigode!

Se a mulher por rebeldia
Quiser uma coisa mudar
Sempre cuide de mostrar
Sua força e energia
Que aos pouco ela esfria.    
Ninguém porém ignora
Ela às vezes até chora.
Faça por bem ou por mal
Decida tudo ao final.
Senão, diga... ”Sim Senhora”!

            Nota:- “Qualquer semelhança com pessoa real viva ou morta será mera coincidência”

João Bitu




Aquele Abraço


 Nosso bom dia hoje é uma homenagem ao aniversário do bondinho que é um dos cartões postais mais famosos do Rio de Janeiro e do Brasil.

Então, para todos vocês, AQUELE ABRAÇO! :)

"O Rio de Janeiro continua lindo
O Rio de Janeiro continua sendo
O Rio de Janeiro, fevereiro e março
Alô, alô, Realengo - aquele abraço!
Alô, torcida do Flamengo - aquele abraço!
Chacrinha continua balançando a pança
E buzinando a moça e comandando a massa
E continua dando as ordens no terreiro
Alô, alô, seu Chacrinha - velho guerreiro
Alô, alô, Terezinha, Rio de Janeiro
Alô, alô, seu Chacrinha - velho palhaço
Alô, alô, Terezinha - aquele abraço!
Alô, moça da favela - aquele abraço!
Todo mundo da Portela - aquele abraço!
Todo mês de fevereiro - aquele passo!
Alô, Banda de Ipanema - aquele abraço!
Meu caminho pelo mundo eu mesmo traço
A Bahia já me deu régua e compasso
Quem sabe de mim sou eu - aquele abraço!
Pra você que me esqueceu - aquele abraço!
Alô, Rio de Janeiro - aquele abraço!
Todo o povo brasileiro - aquele abraço!"

(Aquele Abraço - Gilberto Gil)



VOTAR


Texto de Raquel de Queiroz. Revista O Cruzeiro, 11 de janeiro de 1947

Não sei se vocês têm meditado como devem no funcionamento do complexo maquinismo político que se chama govêrno democrático, ou govêrno do povo. Em política a gente se desabitua de tomar as palavras no seu sentido imediato.

No entanto, talvez não exista, mais do que esta, expressão nenhuma nas línguas vivas que deva ser tomada no seu sentido mais literal: govêrno do povo. Porque, numa democracia, o ato de votar representa o ato de FAZER O GOVÊRNO.

Pelo voto não se serve a um amigo, não se combate um inimigo, não se presta ato de obediência a um chefe, não se satisfaz uma simpatia. Pelo voto a gente escolhe, de maneira definitiva e irrecorrível, o indivíduo ou grupo de indivíduos que nos vão governar por determinado prazo de tempo.

Escolhem-se pelo voto aquêles que vão modificar as leis velhas e fazer leis novas – e quão profundamente nos interessa essa manufatura de leis! A lei nos pode dar e nos pode tirar tudo, até o ar que se respira e a luz que nos alumia, até os sete palmos de terra da derradeira moradia.

Escolhemos igualmente pelo voto aquêles que nos vão cobrar impostos e, pior ainda, aquêles que irão estipular a quantidade dêsses impostos. Vejam como é grave a escolha dêsses “cobradores”. Uma vez lá em cima podem nos arrastar à penúria, nos chupar a última gôta de sangue do corpo, nos arrancar o último vintém do bôlso.

E, por falar em dinheiro, pelo voto escolhem-se não só aquêles que vão receber, guardar e gerir a fazenda pública, mas também se escolhem aquêles que vão “fabricar” o dinheiro. Esta é uma das missões mais delicadas que os votantes confiam aos seus escolhidos.

Pois, se a função emissora cai em mãos desonestas, é o mesmo que ficar o país entregue a uma quadrilha de falsários. Êles desandam a emitir sem conta nem limite, o dinheiro se multiplica tanto que vira papel sujo, e o que ontem valia mil, hoje não vale mais zero.

Não preciso explicar muito êste capítulo, já que nós ainda nadamos em plena inflação e sabemos à custa da nossa fome o que é ter moedeiros falsos no poder.

Escolhem-se nas eleições aquêles que têm direito de demitir e nomear funcionários, e presidir a existência de todo o organismo burocrático. E, circunstância mais grave e digna de todo o interêsse: dá-se aos representantes do povo que exercem o poder executivo o comando de tôdas as fôrças armadas: o exército, a marinha, a aviação, as polícias.

E assim, amigos, quando vocês forem levianamente levar um voto para o Sr. Fulaninho que lhes fêz um favor, ou para o Sr. Sicrano que tem tanta vontade de ser governador, coitadinho, ou para Beltrano que é tão amável, parou o automóvel, lhes deu uma carona e depois solicitou o seu sufrágio – lembrem-se de que não vão proporcionar a êsses sujeitos um simples emprêgo bem remunerado.

Vão lhes entregar um poder enorme e temeroso, vão fazê-los reis; vão lhes dar soldados para êles comandarem – e soldados são homens cuja principal virtude é a cega obediência às ordens dos chefes que lhe dá o povo. Votando, fazemos dos votados nossos representantes legítimos, passando-lhes procuração para agirem em nosso lugar, como se nós próprios fôssem.

Entregamos a êsses homens tanques, metralhadoras, canhões, granadas, aviões, submarinos, navios de guerra – e a flor da nossa mocidade, a êles prêsa por um juramento de fidelidade. E tudo isso pode se virar contra nós e nos destruir, como o monstro Frankenstein se virou contra o seu amo e criador.

Votem, irmãos, votem. Mas pensem bem antes. Votar não é assunto indiferente, é questão pessoal, e quanto! Escolham com calma, pesem e meçam os candidatos, com muito mais paciência e desconfiança do que se estivessem escolhendo uma noiva.

Porque, afinal, a mulher quando é ruim, dá-se uma surra, devolve-se ao pai, pede-se desquite. E o govêrno, quando é ruim, êle é que nos dá a surra, êle é que nos põe na rua, tira o último pedaço de pão da bôca dos nossos filhos e nos faz aprodecer na cadeia. E quando a gente não se conforma, nos intitula de revoltoso e dá cabo de nós a ferro e fogo.

E agora um conselho final, que pode parecer um mau conselho, mas no fundo é muito honesto. Meu amigo e leitor, se você estiver comprometido a votar com alguém, se sofrer pressão de algum poderoso para sufragar êste ou aquêle candidato, não se preocupe. Não se prenda infantilmente a uma promessa arrancada à sua pobreza, à sua dependência ou à sua timidez. Lembre-se de que o voto é secreto.

Se o obrigam a prometer, prometa. Se tem mêdo de dizer não, diga sim. O crime não é seu, mas de quem tenta violar a sua livre escolha. Se, do lado de fora da seção eleitoral, você depende e tem mêdo, não se esqueça de que DENTRO DA CABINE INDEVASSÁVEL VOCÊ É UM HOMEM LIVRE. Falte com a palavra dada à fôrça, e escute apenas a sua consciência. Palavras o vento leva, mas a consciência não muda nunca, acompanha a gente até o inferno”.

Há 65 anos Raquel de Queiroz escreveu sobre a magnitude do Voto. O texto é mais que atual, poderia ter sido escrito hoje. Copiei e colei aqui no blog tentando esclarecer a importância de sua decisão. Não tenha medo: "DENTRO DA CABINE INDEVASSÁVEL VOCÊ É UM HOMEM LIVRE. ESCUTE APENAS A SUA CONSCIÊNCIA PARA NÃO SE ARREPENDER DEPOIS"

23 de outubro de 2012

Dia da Aviação Brasileira


No dia 23 de outubro comemoramos o Dia do Aviador porque foi nesta data no ano de 1906 que Santos Dumont, o grande inventor brasileiros levantou vôo com o seu "14 Bis". Foi o primeiro vôo de um aparelho mais pesado que o ar. Era o princípio da aviação, o meio mais rápido e arrojado de locomoção conseguido pelo homem.

Nossa homenagem..








22 de outubro de 2012

Esse cara sou eu...




O cara que pensa em você toda a hora
Que conta os segundos se você demora
Que está todo o tempo querendo te ver
Porque já não sabe ficar sem você

E no meio da noite te chama
Pra dizer que te ama
Esse cara sou eu

O cara que pega você pelo braço
Esbarra em quem for que interrompa seus passos
Que está do seu lado pro que der e vier
O herói esperado por toda mulher

Por você ele encara o perigo
Seu melhor amigo
Esse cara sou eu

O cara que ama você do seu jeito
Que depois do amor você se deita em seu peito
Te acaricia os cabelos, te fala de amor
Te fala outras coisas, te causa calor

De manhã você acorda feliz
Num sorriso que diz
Que esse cara sou eu
Esse cara sou eu

Eu sou o cara certo pra você
Que te faz feliz e que te adora
Que enxuga seu pranto quando você chora
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu

O cara que sempre te espera sorrindo
Que abre a porta do carro quando você vem vindo
Te beija na boca, te abraça feliz
Apaixonado te olha e te diz
Que sentiu sua falta e reclama
Ele te ama
Esse cara sou eu

Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu

http://www.vagalume.com.br/roberto-carlos/esse-cara-sou-eu.


Uma Lição de Vida





Bem aventurado 
aquele que suporta 
com perseverança  
as provações da vida 

21 de outubro de 2012

Reprisando ESTROFES DOIDAS



ESTROFES DOIDAS – por João Bitu
( sátira )

Eu conheço uma cidade
Onde tudo é muito especial
De tudo que há neste mundo
Lá ou é melhor ou igual.
Aliás, se bem me lembro
Vinte e quatro de dezembro
Lá é véspera de Natal !

Quando acaba o Verão
Logo começa o Outono
Janeiro é sempre Ano Novo
E Setembro é o mês nono
Existem muitos terrenos
Tanto grandes como pequenos
E todos pertencem aos seus donos

Quando uma causa é mais séria
E carece ser bem pensada
Uma pessoa ou até duas
Buscam não dar mancada
Pois é bom que não se vexem
Em panela que muitos mexem
Ou sai insossa ou salgada

A natureza é bem surpreendente
Pelo menos como nos parece
Tal é a Lua, tal é também o Sol
Que de seu turno se envaidece!
Exaltando mais e mais seu nome
Quando um aparece o outro some
E quando um some o outro aparece.

Na cidade os moradores
São todos contemporâneos
Nascidos no mesmo ambiente
Dizem-se também conterrâneos
Desentendimentos passageiros
Entre dois ou mais companheiros
São chamados momentâneos

Mas nunca há brigas feias
Quando entre dois um não quer
O bem estar lá predomina
Entre marido e mulher.
Desde que ambos se estimem
E de verdade se amem
E não tenham motivos quaisquer

Cada pessoa ama seu próximo
Quando está em seu juízo
A Polícia jamais é chamada
Somente quando é preciso
Enterros?
Só se morrer alguém
Quando aos Céus lhe convém
E para levar ao Paraíso.

Os jardins de nossa casa
São verdes e bem apanhados
Cada espécime é o mais lindo
Bem verdejantes e cuidados
Não exigem maior atenção
Precisam somente que uma boa mão
Os tenham sempre aguados

Eu sempre vou à terrinha
Sem gozação nem fanfarra
Quando nós chegamos lá
Todos fazem uma farra
Mesmo sem estar disposto
A mulher só faz o seu gosto
E me leva mesmo na marra.
João Bitu




Obs:- A TERRINHA é como passa a se chamar essa cidade das paixões extremas de minha cara meta-
de. Para ela não há um lugar melhor no mundo, nem mais cativante. Tudo é mais bonito, mais lindo, mais apaixonante e diferente.
"Eu tentei mostar em minhas "ESTRROFES DOIDAS" algumas dessas diferenças existentes. Deu para perceber?
Joa~Bitu


Se todas essas estrofes são doidas, imagune as sérias!!!!!!!
Gostei. E, como dizem que sou observadora, em uma das estrofes tem um verso que fala do mês de setembro e, amo esse mês nono, principalmente o 10. Foi quando cheguei encerrando a prole da minha família.
Estou enrolando porque não encontro palavras adequadas para comentar "ESTROFES DOIDAS"...
Abraços e Um Feliz 2012 para toda sua Família.
Fideralina.




É...

João Bitu Meu camarada
Essa verdade fatal
sobre a vontade da mulher
Não há outro peso igual
Se o contrário eu desminto
Pois toda hora pressinto
Ela é quem manda afinal.

Se as estrofes endoidaram
Cá nós tambem endoidamos
Só fazemos o que ela quer
E ainda nos vangloriamos
De ser marido fiel
Soboreador do bom mel
Que em seu aconchego captamos.

Eu tô aqui de passagem
Fafá Bitu me intimou
Diz que a postagem sumiu
Foi aquele chororô
Vou é voltar novamente
Pro retiro do Vicente
E so volto, quando esse ano se for.

A rima tá mal rimada
tenho pressa de voltar
Fique ai meu camarada
Depois eu vou te explicar
O por que da minha ausencia
Eu sei que minha presença
Não faz falta e coisa e tá.

Rimar sem pé nem cabeça
É a coisa melhor do mundo
O que fazia em uma hora
Aqui faço em um segundo
Por isto tô dando o fora
Volto no ano que vem
Tenho certeza que alguem
Não vai se importar com NADA.

Um grande abraço pra você João. Tenho-o em alta estima.

Mas gostaria de estender essa abraço a toda a bituzada como diz a Maria de Fátima Bitu.

Vicente Almeida


Desde criança eu senti a força de decisão da MULHER. Lá em casa a última palavra era de papai: " SIM, SENHORA! o fato se repete com os irmãos e amigos. A gente acaba ganhando todas as causas, rs

O QUE FOR... SERÁ! - por João Bitu

Quando a sorte não está favorável
Não adianta nada forçar barra
Em qualquer empecilho esbarra
E não se obtém - o fim desejável...
È querer fugir do inevitável
Quando o destino já foi traçado.
Não há como fugir do resultado
Porquanto, o amanhã, a Deus pertence
Do contrário ninguém me convence
Aceitar, pois, é fato consumado

Quando jovem quis formar um lar
Movido pelo coração em brasa
Pretendi usar a prata da casa
E sem mais delongas me emancipar.
O tropeço veio sem nada avisar
E se opôs a tudo num rompante
Destruiu aquela paixão brilhante
Ardorosa e de tanto fulgor
Fui achar um novo e terno amor
Numa terra estranha e bem distante.
                                                                                                      
Assim é tudo o que a gente planeja
Sem sondar a vontade do amanhã
Mesmo quando se tem uma idéia sã
Para realizar o que mais deseja
Nem sempre acontece como se almeja.
Haja vista a ânsia duma gestante
Aguardando a vinda a todo instante
De um filho ou filha a nascer
Um menino? Bem que podia ser!
Mas lhe vem menina - não obstante!


A princípio se fica reticente
Por não obter o que era esperado
Sem saber que o que lhe foi negado
Tornar-se-ia até desconveniente
Assim Deus quis evidentemente
Duma outra forma nos contemplar
 Pela sua sabedoria sem par
Não acolheu aquilo que foi pedido
Ao invés então do que é pretendido
Sempre tem algo muito melhor para dar!

João Bitu


20 de outubro de 2012

Ao Irmão Poeta - por Fafá Bitu






" Poeta  pode ser um sonhador ou quem sabe um realista, pode ser tímido ou extravagante, intelectuais ou apenas apaixonados pela vida, quem sabe podem ser filosófos ou apenas leigos querendo amar e serem amados! Alguns se expressam de uma forma abstrata nos fazendo refletir sobre a vida ou sobre o que ele quer dizer com suas palavras sinônimas ou quem sabe apenas palavras ao vento, outros, abertos de uma forma bem simples e clara de se expressarem!!! Mas todos são poetas, são poetas do amor, da tristeza, da realidade, dos sonhos, das noites, dos mares e principalmente, da vida!!"

A minha homenagem é para  JOÃO BITU que preenche esse espaço de poemas sonhadores, tímidos, apaixonados, às vezes filosóficos mas é tudo feito com muito carinho, cuidado e sobretudo muita VIDA. Meu irmão, sinto-me feliz em vê-lo divulgar suas poesias, tudo isso tem te dado ânimo para seguir em frente. Há muita poesia sua aqui, difícil escolher a melhor para comemorar o DIA DO POETA, decidi postar A ESPERANÇA que aposto em dias bem melhores para nosso blog com sua benéfica participação

                                                      A ESPERANÇA 


Há ocasiões em nossa existência
Em que sentimo-nos muitíssimo sós
É uma tristeza e outra logo após,
Um transtorno e uma reincidência
Em implícita e sutil coincidência
Imprevistos que nos trazem emoções
 Acrescentadas de perturbações.
Será que a providência nos adverte
E acaso em vítima nos converte,
Serão pretensamente provações?

Queira o Pai, santo e misericordioso
Que tudo em harmonia se transforme
Ao invés de dor, seja tudo conforme
A vontade do Supremo e Poderoso,
Àquele que é digno e venturoso.
A ternura, o galardão que convém
Paz, saúde e muito amor também
Sob este céu que a tudo encobre
Venha amor e que alegria nos sobre
E nos cubra com a nuvem do bem

João Bitu




19 de outubro de 2012

O Progresso que Buscamos


   O progresso que você busca, tanto pode se apresentar de forma complexa, como mostrar-se através de algo singelo.     Porém, nem sempre você lhe dá a devida importância.
    O pranto da dor se torna progresso, quando você aprende a sorrir alegremente, após passar pelos sofrimentos educativos.
    A decepção inesperada que o maltrata se transforma em progresso, na medida em que você se aconselha com a cautela, transformando-se no indivíduo verdadeiramente amadurecido para a vida.
    As dificuldades de qualquer ordem, que o atrapalham hoje, serão elementos de progresso, se você aprender as lições da educação dos hábitos, como abençoada vitória sobre o próprio desequilíbrio.
    A doença que lhe traz tantos dissabores, atualmente, irá se converter em progresso de sua alma, quando proporcionar em seu íntimo o respeito à saúde, numa vida salutar contínua.
    A solidão com a qual você custa a se habituar nos dias atuais, se bem compreendida, construirá um imenso progresso, ensinando-o a cultivar amores verdadeiros no futuro.
    A morte do corpo, que altera disposições e sonhos, deixando um vazio na alma dos que ficam no mundo, apresenta-se como oportunidade de progresso, se você consegue fazer dela a mensageira da renovação e do trabalho, preenchendo o vazio com a dedicação ao semelhante, exercitando o amor ao próximo, desligando-se do egoísmo prejudicial.  
    Reflita e não pare a olhar somente o ângulo aparentemente infeliz das coisas e circunstâncias que você encontre na vida.
    O progresso está em tudo que a vida nos traga.
    Precisamos lembrar sempre que, acima de nossa visão limitada e imediatista, existem planejamentos minuciosos para nossas existências, visando sempre o nosso bem.
    Não somos almas abandonadas num mundo em decadência.     Somos Espíritos com planos de desenvolvimento, num mundo em progresso constante.
    É chegado o tempo da fé raciocinada, de acreditar nas coisas sabendo o porquê.
    É chegado o tempo de descobrir que Deus, a Inteligência Suprema, a Causa primeira de todas as coisas, rege os mundos através de Leis perfeitas e a Lei do progresso é uma delas.
    Assim, começaremos a ver as dificuldades que surgem não mais como obstáculos, mas como oportunidades que a vida nos oferece para crescermos.
    Pensemos sobre o assunto. Reflitamos mais sobre os acontecimentos e ampliemos a visão que temos da vida.
    É chegado o tempo da compreensão raciocinada.
    Cada novo amanhecer é convite sereno à conquista de valores que parecem fora do nosso alcance.
    Cada novo amanhecer é chance de assentar mais um tijolo na edificação de nossa felicidade.
    Cada novo amanhecer é prova da constância Divina, é prova do Seu amor pelos Espíritos que somos, concedendo-nos sempre novas oportunidades.
(Recebi de um bom amigo)

18 de outubro de 2012

A CADEIRA ...por Cleide


Um sacerdote foi chamado para orar por um homem muito enfermo. Quando ele entrou no quarto, encontrou o pobre homem na cama com a cabeça apoiada num par de almofadas, e ao lado da cama havia uma cadeira, fato que levou o sacerdote a pensar que o homem estava aguardando a sua chegada.
- Suponho que estava me esperando? - disse o sacerdote.
- Não, quem é você? - respondeu o homem enfermo.
- Sou o sacerdote que a sua filha chamou para orar por você. Quando entrei e vi a cadeira vazia ao lado da sua cama, imaginei que você soubesse que eu viria visitá-lo.
- Ah sim..., a cadeira! Entre e feche a porta - pediu o homem e continuou dizendo: - Nunca contei para ninguém, mas passei toda a minha vida sem ter aprendido a orar. Não sabia direito como se deve orar. E nunca dei muita importância para a oração. Pensava que Deus estava muito distante de mim. Assim sendo, há muito tempo abandonei por completo a idéia de falar com Deus. Até que um amigo me disse:
"José, orar é muito simples. Orar é conversar com Jesus, e isto eu sugiro que você nunca deixe de fazer...você se senta numa cadeira e coloca outra cadeira vazia na sua frente. Em seguida, com muita fé, você imagina que Jesus está ali sentado, bem diante de você. Afinal Jesus mesmo disse: "Eis que Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos" (Mateus 28:20). Portanto, você pode falar com Ele e escutá-lo, da mesma maneira como está fazendo comigo agora."
- Pois assim eu procedi e me adaptei à idéia. Desde então, tenho conversado com Jesus durante umas duas horas diárias. Tenho sempre muito cuidado para que a minha filha não me veja... pois me internaria num manicômio imediatamente.
O sacerdote sentiu uma grande emoção ao ouvir aquilo, e disse a José que era muito bom o que estava fazendo e que não deixasse nunca de fazê-lo. Em seguida orou com ele e foi embora. Dois dias mais tarde, a filha de José comunicou ao sacerdote que seu pai havia falecido. O sacerdote então perguntou:
- Ele faleceu em paz?
- Sim, quando eu estava me preparando para sair, ele me chamou ao seu quarto, e disse que me amava muito e me deu um beijo. Quando eu voltei das compras, uma hora mais tarde, já o encontrei morto. Porém há algo de estranho em relação à sua morte, pois aparentemente, antes de morrer, chegou perto da cadeira que estava ao lado da cama e encostou a cabeça nela. Foi assim que eu o encontrei. Porque será isto? – perguntou a filha.
O sacerdote, profundamente emocionado, enxugou as lágrimas e respondeu:
- Ele partiu nos braços do seu melhor amigo...Jesus.

                (Autor Desconhecido)

Nosso Grande Amigo DELANO - por Fafá Bitu


O remédio mais importante para o tratamento de seu paciente nem sempre se encontra  nas farmácias… … é uma mistura de confiança, respeito, carinho, dedicação e é oferecido a cada vez que nos encontramos. Às vezes basta um toque no celular e ele está sempre prestes a nos confortar naqueles  momentos  mais difíceis. Por enquanto, fica com o carinho de nossa eterna amizade, a gente pretende um dia poder fazer algo por você. Parabéns pelo DIA DO MÉDICO: profissão que você abraçou com abnegação e muita sabedoria. !!!
Fafá e Zezê



Desejo a você, querido amigo:


- mais uma bela viagem à Europa
- vinho branco
- que você não enfrente nem tanto frio nem tanto calor.
- uma boa companhia
- bolero de Ravel
- um fim de tarde no Bateau-Mouche
- uma boa leitura
e a garantia de minha eterna amizade,
Fafá





Estou em construção


"Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos. Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos. Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente. Mas agredimos.

Não respeitamos o tempo do outro, a história do outro. Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos e o outro é apenas um detalhe.

E, assim, vamos causando transtornos. Esses transtornos tanto mostram que não estamos prontos, mas em construção. Tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma.

O outro também está em construção e também causa transtornos. E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca. Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto. E quando não é um, é outro. E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer.

Os erros dos outros, os meus erros. Os meus erros, os erros dos outros.

Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram. A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão.

Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras. É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntários. Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante. Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado. E será um desperdício!

O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão. É um banho na alma! Deixa leve! Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos… Estou em construção!"
Sejamos felizes!
(Recebido por e-mail, desconheço a autoria)






17 de outubro de 2012

Um Rio, Dois Lagos



     "Fluir é característica natural da vida....doar também."

     Esta postagem é dedicada ao aniversariante de hoje:nosso colaborador e  grande amigo: ISAC AIRES!

    JOYEUX ANNIVERSAIRE, CHER AMI!

INSÔNIA - por João Bitu

Enquanto a cidade dorme
 Insone estou em meu leito
A curtir saudade enorme
De um amor que foi desfeito

O silencio me angustia
Pela madrugada longa
E enquanto não vem o dia
O martírio se prolonga

Bom seria que eu dormisse
E que a lembrança sumisse
Pelo menos um pouquinho

Meu sofrimento é intenso
Pois quanto mais nela penso
Mais e mais eu me definho!

João Bitu









16 de outubro de 2012

A Força do Amor


Hoje é o aniversário dessa criatura maravilhosa que com nossa irmã Isabel tem uma vida conjugal harmoniosa..Feliz Aniversário, Ildomar!  Esse clip tem tudo a ver com o casal da letra I. Muitas felicidades, muita paz, muito amor SEMPRE:
A BITUZADA


video

ILDOMAR - por João Bitu

Ildomar velho de guerra receba meu abraço carinhoso pela passagem desta data maravilhosa em que se comemora o seu aniversário.
Faça por repetir por muitos e muitos anos, sempre com saúde e vitalidade ao lado de Isabel  a sua companheira valiosa
Seja feliz
João Bitu

15 de outubro de 2012

Minha pequena, minha grande tia Fafá

Minha pequena, minha grande tia Fafá...parabéns por esse dia dos professores embora eu acredite que dias dos professores seja todos os dias. Mesmo quando não se leciona mais formalmente, o professor permanece dentro de nós, ensinando a viver, a amar, a ser humano, a criticar, a existir... Profissão inquieta e inquietante a nossa que tem a capacidade de nos desacomodar e desacomodar o que nos cerca. Peço a Deus que me permita trilhar esse caminho para que no final da minha luta, alguém lá do outro lado do mundo reconheça minha sobrinha e diga: "Vanessa Bitu, lá do Ceará?" Kkkkkkk, assim como me questionaram a respeito de uma certa Fatinha Bitu quando eu estava na Croácia e alguém me disse: "é a melhor professora de francês do Ceará" e rapidamente eu gritei: é minha tia, irmã do meu pai! Quando eu crescer, quero ser uma Fatinha Bitu, Deus me permita! Muito te admiro, maravilhosa!


                           Vanessa Bitu


3 Momentos dessa vida




Nesta vida temos três momentos importantes:

MOMENTO FELIZ
MOMENTO TRISTE
MOMENTO DIFÍCIL

O ‘Momento Feliz’ mostra o que não precisamos mudar.
O ‘Momento Triste’ mostra o que precisamos mudar.
O ‘Momento Difícil’ mostra que somos capazes de superar.”


Os obstáculos te mantém forte.
As mágoas te mantem humano.
Os choques te mantem humilde.




14 de outubro de 2012

TRIBUTO A DONA ELIZA GOMES CORREIA - por Isabel Vieira





TRIBUTO A DONA ELIZA GOMES CORREIA NO SEU CENTENÁRIO
UMA  “ MULHER DE AÇO E DE FLORES”

Não mais entre nós, porém na Glória de DEUS!  Com certeza, entre aplausos, cânticos   e homenagens celestiais, dona Eliza Gomes completou  100 anos em 09.01.2012.  Um  abençoado  centenário!!!
Sua  vida..., uma dádiva preciosa  das  mãos do SENHOR! Digna  da nossa  admiração, todo respeito  e gratidão...
Dona Eliza, bem  criança, foi acometida por uma grave  poliomielite que a abalou enormemente,  deixando-a paraplégica, impossibilitada, portanto,  de locomover-se naturalmente. Com o carinho, apoio e cuidados dos pais foram tomadas as providências de  remediação, tratamento; à época,   insuficientes, precários para a situação. Embora, doravante, sua vida condicionada a referidas sequelas, às fortes consequências; nada a fez desanimar, esmorecer, fracassar, parar...
Destemida e confiante,  buscou nas suas fragilidades:  coragem, otimismo, ânimo,  meios para abraçar os desafios, tocar os obstáculos , vencer as adversidades, realizar seus objetivos . Estudou  até os limites e condições que lhe foram possíveis. Com muita força de vontade, concluiu o curso primário.
Natural de Iguatu,  Dona Eliza, inda muito jovem,  por força das circunstâncias, sobretudo, a orfandade dos pais e a consequente  necessidade de trabalhar, deixou, saudosamente, sua terra natal e seus familiares.  A convite do primo Ildefonso Correia Lima, conhecedor do seu potencial, veio para Várzea Alegre e começou a lecionar  no sítio PANELAS  enfrentando com todo esforço e dedicação os mais variados percalços como professora rural.
Mulher talentosa, decidida, sonhadora. Uma guerreira imbatível, autêntica.
Anos depois, voltou a residir na  cidade. Como professora, fundou, ensinou e administrou, por vários anos,   o notável, eficiente e inesquecível EDUCANDÁRIO SANTA INÊS. Um real “canteiro de esperanças”,  para o qual,  os pais, com total confiança,  encaminhavam seus filhos à busca do ensino primário, das primeiras lições de cidadania. Na respeitada Escola, referidos alunos alicerçavam os seus caminhos rumo a um futuro seguro e promissor.
Impossível de se precisar o número de estudantes que aos seus ensinamentos, à sua notável docência,   foram direcionados, por ela preparados para o ingresso ginasial. Somam-se centenas.
Hoje, entre eles, encontram-se  excelentes profissionais em diferentes segmentos sociais,  ocupando as mais  diversas e ilustres posições  dentro do mercado de trabalho por todo o nosso BRASIL; alguns até no exterior.
Por trás do seu estilo rigoroso e autoritário de ensinar/educar,  uma enorme responsabilidade, um fiel compromisso,  uma imensa preocupação com o aprendizado, com o desenvolvimento pessoal/intelectual, objetivando um resultado positivo,  satisfatório para todos. Era o que deixava transparecer, cotidianamente, no seu  frutuoso ofício .
Nossa mestra, dona Eliza,  uma “baluarte” nos caminhos do SABER.  Expressiva referência no processo educacional da sociedade varzeaalegrense. Com toda maestria, nas veredas do “magistério’,   batalhou sem proporções.
Um exemplo de resignação, persistência, abnegação...
Não tive o privilégio  de integrar o corpo discente da sua instituição educadora;  mas, vivi  a felicidade, mereci a HONRA de , por algum tempo,  estar ao seu lado, como “professora auxiliar”.  É que no final do curso ginasial, em meados da década de 1960,  a gente  passando por dificuldades financeiras, minha mãe, muito sua amiga, questionou-lhe   uma oportunidade   de  eu ser sua auxiliar  por qualquer gratificação que lhe  conviesse  para ajudar nas despesas dos meus  estudos. . Ela, num gesto benevolente,  ouviu e atendeu prontamente ao apelo. Colocando, também,  no momento,  sua necessidade, face  a sobrecarga diária das  atividades  educativas. Aludido convívio, trabalho me beneficiou largamente;  além do lado  financeiro , o aprendizado,  a troca de experiências, conhecimentos, e a AMIZADE etc.
Uma criatura humana portadora dos mais nobres sentimentos, das mais ricas virtudes.   Por força dos próprios méritos,  cativou e conservou um amplo circulo de amigos em toda a sociedade.
Uma católica  extremosa, recorrendo e agradecendo à DIVINA PROVIDÊNCIA a cada instante.
Pelo  grandioso testemunho de fé, de luta, de sabedoria,  de superação , sagrou-se uma verdadeira HEROINA.
Nos seus sacrificados e contínuos “ARRASTOS” sobre uma tábua,  na sua  trajetória sobre espinhos e flores,  ao longo dos anos,  fazendo rastros..., deixando marcas..., uma HISTÓRIA encantadora  que POUCOS conseguem capitular, cantar e contar...
DONA ELIZA GOMES CORREIA,  pessoa íntegra...Como mensageira de esperança,  de luz, de fortaleza, de humildade, de perseverança,  de REALIZAÇÕES... reservou-nos um valioso legado que nos orgulha e nos engrandece. .
Merecidamente, PATRONA  da Academia Varzeaalegrense de Letras-AVL.
Gloriosos foram os seus passos rumo à vida “plena” na dimensão Sagrada.
Louvemos a sua “obra” fecunda e transcendente.
ETERNA em nossas vidas..., SANTA no Reino de DEUS!!!
Com todo carinho...!!!
ISABEL VIEIRA DE OLIVEIRA SILVA
Juazeiro do Norte,CE,   08 de fevereiro de 2012.

Homenagem ao Professor - por Fafá Bitu




O verdadeiro professor é aquele que orienta você na trilha da vida, propondo paz, fazendo comunhão, despertando sabedoria. É ainda aquele que estende a mão, inicia o diálogo e encaminha para a aventura da vida. Não é só aquele que ensina fórmulas, regras, raciocínio, mas o que questiona e desperta o aluno para a realidade . Não é só aquele que transmite seu saber mas aquele que desperta o saber no discípulo. Mestre para mim foi você, Dona Eliza: professora amiga que soube me estimular desde cedo a enfrentar o preconceito e obstáculos que a vida nos impôs...sua presença física e seu saber me diziam tudo: "Maria de Fátima, sua ternura de criança/ adolescente, seu saber, sua força de vontade já me mostram que você será uma vencedora na escola da vida. " Obrigada, Dona Eliza Gomes Correia, jamais esquecerei de suas lições..





Iracy Bezerra de Morais:  a grande alfabetizadora de Zezê que  também a preparou para o famoso exame de admissão. Era uma sala de áula diferente. Seus filhos eram também seus alunos e nos tornávamos todos uma só família como ainda somos até hoje. Ela era também madrinha de Zezê, assim como Luís Sergio(Serginho) era afilhado de meus pais.  Nossa eterna saudade,

Fafá e Zezê



No Grupo Escolar José Correia Lima, fui aluna de Leonarda Bezerra do Vale - Dadá Piau. Aquela professora  séria, fechada  que nos ensinava a conta de dividir, multiplicar. Assim como  no seu jeito sisudo de ser nos dava lições de civismo. Antes de entrar na sala, ficávamos em fila para ouvir e cantar o HINO NACIONAL. Hoje somos grandes amigas e nas poucas vezes que nos encontramos, trocamos idéias e dividimos nossas experiências de filhas e irmãs cuidadoras. A você, Dadá Piau, todo o meu carinho


Cursando a quinta série no Ginásio São Raimundo Nonato obtive de  Dona Aniete Ferreira Rolim,  a primeira lição de Francês que não esquecerei jamais."Après um mois et demi de delicieuses vacances, me voici de nouveau entre  mes professeurs et mes camarades".Obrigada, Dona Aniete por ter despertado em mim o gosto pela língua mais suave e culta desse mundo.